Por Alana Gonçalves

Desde o Golpe em 2016 e mais recentemente com o resultado das eleições 2018, os setores progressistas de todo o país compreenderam que o momento exigia mobilização para a defesa dos direitos conquistados desde a redemocratização do país e principalmente durante os governos petistas. Um destes setores que está na lista de prioridades de ataques por parte do governo eleito para 2019 é o da saúde, visto que ao longo da campanha Jair Bolsonaro disse considerar “exagerado” o investimento dedicado à saúde pública.

Em contrapartida, em Santa Maria – RS, pelo menos ao longo dos últimos cinco anos temos construído anualmente o Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS), cujo objetivo desde a sua criação é a articulação entre movimento estudantil e demais movimentos sociais junto às instituições universitárias, órgãos governamentais e o próprio Ministério da Saúde para o fortalecimento da Educação Permanente em Saúde e do próprio SUS a partir da formação crítica de profissionais da saúde.

O VER-SUS Santa Maria é construído por estudantes de diversas áreas de conhecimento e tem contribuído fortemente para a formação crítica que leva a categoria estudantil a se organizar no movimento estudantil e refletir sobre a estrutura dos cursos da área da saúde e da universidade como um todo. Esse efeito, no entanto, não surge sem razão, pois um fator importante e que diferencia o VER-SUS Santa Maria dos demais estágios realizados por todo o país é o método utilizado na execução do projeto. O movimento estudantil da UFSM já contava com um amplo acúmulo de experiências de formação política a partir da realização do Estágio Interdisciplinar de Vivência (EIV), sendo este construído com base no método Josué de Castro (utilizado nas escolas de formação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST) e na concepção de Educação Popular. Esse acúmulo influenciou o VER-SUS Santa Maria a adotar a mesma metodologia e ampliou a finalidade do projeto, que de início se limitava à formação de estudantes da área da saúde, tornando-se então um importante espaço interdisciplinar de formação política e com vistas para a construção de uma sociedade justa e igualitária que garanta efetivamente a saúde como direito público, gratuito e universal.

A formação proporcionada pelo VER-SUS Santa Maria é o que leva as e os estudantes a reivindicarem que a UFSM se comprometa com o estágio e garanta os recursos e a estrutura necessários para a sua realização todos os anos. É justamente por essa razão que será realizada a edição de verão do VER-SUS Santa Maria 2019. O projeto VER-SUS/Brasil, idealizado e impulsionado pela Rede Unida, ainda está em tramitação no Ministério da Saúde e sem previsão de quando e se irá ser aprovado, em função da Rede Unida ter se colocado em oposição ao governo ilegítimo de Michel Temer e também ter se posicionado contrária à candidatura de Jair Bolsonaro. Diante disso, o projeto VER-SUS Santa Maria foi o primeiro a abrir inscrições para a edição 2019 em todo o país, demonstrando sua força e resistência nestes tempos difíceis de ataque a qualquer iniciativa de mobilização social.

O movimento estudantil da UFSM, ciente da árdua tarefa de intensificação do trabalho de base para aglutinar e formar estudantes para se somarem às nossas trincheiras e para o enfrentamento que deverá ser feito no próximo período, está comprometido com a realização do VER-SUS Santa Maria 2019 e compartilha da esperança projetada neste importante espaço de formação.

As inscrições para o VER-SUS Santa Maria 2019 vão até 04 de janeiro de 2019. O estágio ocorrerá de 18 a 27 de janeiro, no prédio do Campus da UFSM em Silveira Martins.

Para mais informações, acesse: https://www.facebook.com/SantaMariaVERSUS/

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho