Por Múcio Magalhães (*)

A  tendência petista Articulação de Esquerda vai finalizar o processo de realização do Sexto Congresso Nacional nos dias 7 e 8 de agosto de 2021 [ver observação ao final do texto sobre a possibilidade de alteração da data ], após sete meses desde a divulgação do regimento que estabeleceu as regras e os prazos para os debates nas bases da tendência. Um esforço significativo para envolver a militância organizada  em 23 estados da federação nas discussões sobre as questões de caráter conjuntural, táticas e estratégicas em debate no PT e na esquerda brasileira, além de temas relativos à organização interna.

A opção da direção nacional da tendência  em organizar o congresso em duas etapas, sendo a primeira dedicada aos debates e à eleição de delegações municipais direto para o congresso nacional, sem a eleição das direções, levou ao estabelecimento de um ambiente favorável ao aprofundamento da discussão política e da ampliação da participação da base militante no congresso nacional.

Em abril foi realizada a primeira etapa do congresso nacional, com uma significativa presença de delegadas e delegados, expressando o acerto do caminho escolhido.

No mês de maio o processo teve continuidade com as plenárias devolutivas nos estados, para apresentar a resolução nacional e preparar a nova rodada de congressos municipais e a realização dos congressos estaduais.

Na segunda etapa os congressos municipais elegeram direções municipais e delegações aos congressos estaduais e ao nacional.

Dessa maneira  foi pautado o enfrentamento do desafio da organização da tendência no plano local e da renovação das direções estaduais, que têm pela frente tarefas importantes, como conduzir a preparação da tendência para as eleições de 2022, a título de exemplo.

Na segunda etapa do congresso nacional será eleita a direção nacional da AE, que assumirá a tarefa de dirigir a tendência em um período no qual o PT debate questões cruciais para a classe trabalhadora.

A força do petismo e da liderança de Lula recolocam o partido no centro da disputa de rumos do país. Questões relativas à quando vai ocorrer esta eleição; o caráter da frente que o PT vai construir; o programa que embasará tal aliança; a composição da chapa e a organização do partido para esta que será uma disputa decisiva para definir o que será o Brasil depois dela, são exemplos de pontos de uma pauta que vai exigir que a Articulação de Esquerda os enfrente com toda coesão interna e acúmulo programático que marcaram muito positivamente o processo congressual ora em curso, que culminará no Congresso Nacional da AE nos dias 7 e 8 de agosto de 2021.

Salve o 6º Congresso Nacional da Articulação de Esquerda!

(*) Múcio Magalhães é dirigente nacional da AE e dirigente do PT Pernambuco.


Página 13 – A segunda etapa do congresso nacional da AE está marcada para os dias 7 e 8 de agosto. Entretanto, a Direção nacional está considerando alterar a data do Congresso, para um mês depois, a saber: para os dias 4 e 5 de setembro (podendo ser transferido para os dias 10 e 11 de setembro, caso no dia 4/9 seja convocada uma manifestação nacional pelo Fora Bolsonaro). A decisão a respeito da alteração de data será tomada na próxima reunião da Dnae. Assim, solicitamos aos delegados e delegadas que: a/reservem as datas na agenda; b/informem à Dnae caso em alguma das possíveis datas haja alguma atividade nacional que possa conflitar com nosso congresso.

Comente!