Por Redação Página 13 (*)

Foto: reprodução de vídeo de apoio de Vander Loubet à chapa do MDB

Durante as eleições municipais de 2020, o Página 13 noticiou, em várias ocasiões, que o deputado estadual no Mato Grosso do Sul, pelo PT, Vander Loubet, fazia campanha para candidatos tucanos em municípios como os de Três Lagoas e Aquidauana, mesmo que nestes municípios o PT tivesse chapa própria tanto às eleições majoritárias quanto  às proporcionais ( ver aquiaquiaquiaqui).

À época, um dirigente nacional do Partido ingressou junto à Executiva Estadual do Mato Grosso do Sul com uma representação solicitando que fosse instalada um processo disciplinar para averiguar os fatos e a conduta de Vander Loubet. Contudo, por 9 votos a 1, a maioria da Executiva estadual decidiu pela não admissibilidade do pedido de representação por infração ética e disciplinar.

No dia 16 de setembro de 2021, publicamos aqui , no Página 13, que o município de Paranhos, também no Mato Grosso do Sul, realizaria eleições suplementares, pois  “a chapa vencedora para os cargos de prefeito e vice-prefeito nas eleições de 2020, encabeçada pelo MDB, teve seus votos anulados conforme decisão Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), em razão das contas reprovadas pelo Tribunal de Contas do candidato a prefeito, quando o mesmo administrou a cidade. Uma nova eleição foi marcada para o dia 3 de outubro”.

E que o “Partido dos Trabalhadores, com muito esforço, articulou uma chapa, numa coligação com o PSOL, para disputar as eleições suplementares, com o companheiro Adélio Cirilo da Silva como candidato a prefeito e a companheira Daniela Liranço a vice-prefeita”.

Eis que o deputado Vander Loubet resolve participar da campanha, porém não para apoiar a chapa petista, mas sim, pasmem, para emprestar o seu apoio à chapa formada pelo MDB.

Neste contexto, que o militante do Partido dos Trabalhadores, Reynoold Medeiros Duarte, decide ingressar com uma representação contra o deputado Vander Loubet, que reproduzimos a seguir.

***

À comissão executiva estadual do PT do Mato Grosso do Sul

Nosso estatuto diz que constitui infração ética e disciplinar “a propaganda de candidato ou candidata a cargo eletivo de outro Partido ou de coligação não aprovada pelo PT ou, por qualquer meio, a recomendação de seu nome ao sufrágio do eleitorado”.

Foi exatamente isto o que fez o deputado federal Vander Loubet, ao declarar o seguinte:

Olá Paranhos, aqui é o deputado Vander Loubet, estou recebendo a visita do nosso vereador Cleber, que é o nosso candidato a vice na chapa do Donizete para que a gente possa construir o mandado que atenda às comunidades indígenas os nossos agricultores familiares aos nossos comerciantes os nossos servidores públicos. O Donizete já demonstrou isso nesse período tão curto que está como prefeito, estarei aí para dar o meu apoio a essa chapa que eu tenho certeza que vai fazer a diferença de Paranhos, conte comigo Cléber, conte comigo Donizete aí, somos 15”.

A declaração acima foi transcrita de mensagem em vídeo que consta de postagem no facebook, divulgado pelo referido candidato e que pode ser assistido aqui: https://www.facebook.com/watch/?v=1293684327750373.

O estatuto diz que a representação no caso de processo disciplinar deve ser feito por “filiado ou filiada, em petição escrita, motivada e circunstanciada, acompanhada das provas em que se fundar e da indicação do rol de testemunhas, até o limite máximo de 8 (oito), devendo ser dirigida “à Comissão Executiva Estadual se o denunciado, ou denunciada, for membro do Diretório Estadual, governador ou governadora, vice-governador ou vice-governadora, deputado ou deputada estadual ou federal, senador ou senadora, secretário ou secretária de Estado ou equivalente”.

Sendo assim, solicito que a CEE do PT MS instaure processo disciplinar contra o deputado. As provas estão nos links supracitados. O deputado é réu confesso. Repúdio essa atitude de traição partidária do deputado Vander Loubet em apoiar em Paranhos a candidatura de Donizete Viaro do MDB que é contrária a posição do Partido dos Trabalhadores em Paranhos, que lançou a candidatura do Companheiro Adelio e da jovem petista Daniela pela coligação “Sonhar, realizar e desfrutar PT/PSOL” que apresentam um plano de governo das trabalhadoras e trabalhadores para o município.

Inaceitável e não vamos nos calar diante dessa prática de um parlamentar do PT em apoiar candidatos opositores à chapa do PT, isso é uma forma implícita de violação do regimento interno do partido que cabe a expulsão do Deputado por infidelidade partidária. Eu enquanto jovem trabalhador de família simples, militante, LGBT não compactua com essa velha política que por benefícios e interesses eleitoreiros, é desleal com os próprios companheiros de partido.

Lutamos por um mundo melhor para as futuras gerações, porém precisamos primeiramente promover mudanças estruturais na forma de fazer política em nosso partido. Mas, repito, nosso estatuto é claro: constitui infração ética e disciplinar “a propaganda de candidato ou candidata a cargo eletivo de outro Partido ou de coligação não aprovada pelo PT ou, por qualquer meio, a recomendação de seu nome ao sufrágio do eleitorado”.

Portanto, peço que a CEE instaure o processo e que se determine a punição cabível, nos termos do estatuto.

Saudações petistas
Viva socialismo

Reynoold Medeiros Duarte, militante do Partido dos Trabalhadores”


(*) redacao@pagina13.org.br

Comente!