Wezer Lucarelli, candidato a vereador pelo PSDB e apoiado por Vander Loubet

Página 13 publicou no dia 17 de outubro matéria acerca da campanha que o deputado federal Vander Loubet faz para uma candidata do PSDB à vereança na cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul ( leia aqui). O deputado respondeu, em linhas gerais, que até recentemente a candidata fora petista e que emprestou-lhe um importante apoio para a sua reeleição a deputado em 2018 (leia aqui ). Detalhe: na cidade, o PT tem chapa própria à prefeitura e à Câmara de Vereadores.

No entanto, o deputado voltou a cometer o “crime”. Começaram a surgir outros casos em que o parlamentar aparece gravando vídeos de apoio a candidatos da direita.  Num deles, publicado em 16 de outubro, Vander pede votos novamente para um candidato do PSDB, Wezer Lucarelli, em Aquidauana (MS). 

No vídeo, o parlamentar diz que o tucano é “um grande parceiro e amigo, sempre coordenou as minhas campanhas aqui Aquidauana“. Alega que “é muito importante para mim, continuar ajudando Wezer lucarelli, o número dele é 45678“.  Fica a curiosidade da predileção do deputado pelo tucano para coordenar a sua campanha na cidade e detrimento de lideranças do PT ou ao menos da esquerda.

A cidade de Aquidauana é a  mesma onde Zeca do PT aparece fazendo campanha para um candidato a vereador  do PP (leia aqui).  No município, assim como em Três Lagoas, o PT tem chapa própria à prefeitura e a Câmara de Vereadores, com 13 companheiros e companheiros lutando para representar o partido no legislativo.

Nossos companheiros, Cipriano Mendes e Tainara Terena, que compõem a chapa majoritária pelo PT, disputam a prefeitura da cidade contra duas chapas da direita: uma liderada pelo PSD  e outra, justamente, por uma aliança entre o PSDB e PP.  Os dois partidos cujos candidatos a vereador receberam apoio de Vander Loubet e de Zeca.

Aliás, Wezer Lucarelli, o candidato a vereador pelo PSDB, ostenta em sua campanha a condição de ser “braço direito” do prefeito do PSDB e candidato à reeleição, Odilon Ribeiro.

Como afirmamos na primeira matéria, a violação à fidelidade, à disciplina e aos deveres partidários constituem infrações ao estatuto do Partido. As circunstâncias e a reiteração das infrações agravam ainda mais situação. O Diretório Regional do Mato Grosso do Sul e o Diretório Nacional devem e precisam tomar medidas em defesa do Partido. Não se pode fechar os olhos para absurdos como esse.

Segue o vídeo:

 

Este post tem 2 comentários

Comente!