Por Marcos Jakoby (*)

Wezer Lucarelli, candidato a vereador pelo PSDB em Aquidauana (MS), apoiado por Vander Loubet

Vander  manifesta-se em um vídeo de campanha pedindo voto para Cristiane Lopes, candidata pelo PSDB em Três Lagoas (MS)

No município de Três Lagoas/MS, PT  e PSOL formaram uma aliança para disputar a prefeitura da cidade.  Lançaram a professora Kaelly Saraiva (PSOL) como candidata à prefeita e o petista Vanderlei da Silva como candidato a vice. A esquerda disputou as eleições para a prefeitura contra outras chapas, uma inclusive encabeçada pelo PSDB e DEM.

No entanto, o deputado federal petista, Vander Loubet, manifestou-se em um vídeo de campanha pedindo votos para Cristiane Lopes, candidata à vereadora pelo PSDB, mesmo com o PT apresentando chapa própria para a Câmara de Vereadores e disputando contra a direita o voto pela administração da cidade (mais detalhes aqui. )

RESULTADO ELEITORAL:  cinco vereadores tucanos eleitos, além do prefeito, nenhum vereador do PT . A candidata apoiada por Vander, Cristiane Lopes, não se elegeu, mas seus votos ajudaram a eleger a grande bancada tucana, enquanto o PT não terá nenhum parlamentar em Três Lagoas. Prefeito eleito na cidade do PSDB.

Em Aquidauana, também no Mato Grosso do Sul, assim como em Três Lagoas, o PT também teve chapa própria à prefeitura e para a Câmara de Vereadores, com 13 companheiros e companheiros lutando por representarem o Partido no legislativo. Novamente, Vander presta apoio a um candidato a vereador pelo PSDB, Wezer Lucarelli,  que ostentava em sua campanha a condição de ser “braço direito” do prefeito do PSDB e candidato à reeleição, Odilon Ribeiro ( mais detalhes aqui. )

RESULTADO ELEITORAL:  o candidato tucano apoiado por Vander, Wezer Lucarelli, foi ele foi o vereador mais votado em Aquidauana, ajudando a eleger uma bancada tucana de três vereadores. Já o PT elegeu somente um vereador. Já o prefeito eleito em Aquidauana, também foi do PSDB, certamente com a  contribuição dos vereadores tucanos eleitos, entre eles o seu “braço direito”, apoiado por Vander.

Nosso estatuto é muito claro: “constitui infração ética e disciplinar a propaganda de candidato ou candidata a cargo eletivo de outro Partido ou de coligação não aprovada pelo PT ou, por qualquer meio, a recomendação de seu nome ao sufrágio do eleitorado”.

Portanto, a violação à fidelidade, à disciplina e aos deveres partidários constituem infrações ao estatuto do Partido. As circunstâncias em que elas ocorreram agravam ainda mais a situação.  Por isso, um dirigente nacional do Partido ingressou, junto à Executiva Estadual do Mato Grosso do Sul, com uma representação solicitando que fosse instalada um processo disciplinar para averiguar os fatos e a conduta de Vander Loubet.

Contudo, por 9 votos a 1, a maioria da Executiva decidiu pela não admissibilidade do pedido de Representação por infração ética e disciplinar.  Será feito um recurso contra  a decisão. Entretanto, se prevalecer o entendimento da maioria da Executiva de MS, na prática, estará se legitimando a conduta de lideranças que afrontam não só a linha política do Partido, mas também o seu estatuto. Algo muito grave.  O diretório estadual  e a direção nacional  não podem compactuar com isso e precisam averiguar e julgar tais fatos.

(*) Marcos Jakoby é professor e militante do PT


(**) Textos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da tendência Articulação de Esquerda ou do Página 13.

Este post tem um comentário

  1. Marlene Madalena Possan Foschiera

    Tem que ser expulso, aqui expulsamos vários companheiros e só não expulsamos o Prefeito porque ele pediu desfiliação, pois seria expulso também. Vergonha!! Por que esse tucano não pede para se desfilhar?

Comente!