Por Marcos Jakoby (*)

Em um vídeo que está circulando nas redes sociais, que segue ao final, é possível vermos uma cena dantesca, que reproduz a imagem do que é a elite brasileira. Trata-se de um jantar com o ex-presidente Michel Temer (MDB) e cerca de 20 “políticos” e empresários, todos homens, brancos e ricos, comemorando um acordo.

O regabofe teria acontecido no dia 09 de setembro, no dia em que Bolsonaro publicou a tal  “nota à nação”, na qual diz que fala às vezes “no calor do momento” e que nunca teve “nenhuma intenção de agredir”. Temer participou da operação que foi uma pactuação, temporária ou não, entre as elites.

No trecho do vídeo em questão, um humorista de direita, André Marinho, diverte convidados do convescote com imitações a Bolsonaro, num ambiente de alívio e congraçamento ao acordo que evitou um enfrentamento com Bolsonaro.

O importante é fazer com que o programa ultraliberal e antipopular, que destrói direitos e a soberania do país, continue a andar, depois eles se desacertam e se acertam de novo. A principal preocupação não é agirem para afastar um genocida e um golpista da presidência. Ao invés disso, preferem piadas e conchavos palacianos ao redor de uma mesa farta, enquanto o povo passa fome e sofre com o desemprego.

Os acontecimentos dos últimos dias só comprovam que quem realmente pode fazer uma oposição consequente a este governo é a esquerda e as forças democráticas e populares. Confiar a setores da elite essa tarefa, é um grande equívoco.

No vídeo, figuras do centrão, da direita gourmet, da grande mídia e do “PIB nacional”:

André Marinho, filho de Paulo Marinho, que fala aos presentes (descritos abaixo) em que faz uma imitação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido);

Paulo Marinho: empresário, 1º suplente do senador Flávio Bolsonaro e hoje em SP engajado na pré-campanha à Presidência de João Doria;

Gilberto Kassab: presidente nacional do PSD;

Johnny Saad: presidente do Grupo Bandeirantes;

Roberto D’Ávila: jornalista, apresentador e diretor da GloboNews, que nesta 3ª feira (14.set.2021) transmite às 23h30 a entrevista de D’Ávila com Michel Temer;

Antonio Carlos Pereira: o Tonico Pereira, ex-editorialista do jornal O Estado de S.Paulo, está à esquerda de Temer;

Naji Nahas: empresário e investidor, está à direita de Temer;

Raul Cutait: cirurgião do hospital S. cirurgião do hospital Sírio-Libanês;

José Yunes: advogado e amigo pessoal de Temer, que chegou a ser preso pela Operação Lava Jato acusado de ser o “operador” de propinas do MDB.

(*) Marcos Jakoby é professor e militante petista

Comente!