Página 13 publica nota do Diretório Zonal de Pinheiros sobre a escolha da candidatura do Partido dos Trabalhadores à prefeitura de São Paulo.   A nota defende que a definição dever ser a mais ampla e democrática possível e que “não se restrinja ao Diretório Municipal”.

 Na semana passada (19 de abril), a tendência Articulação de  Esquerda também encaminhou nota à direção partidária municipal em que destacava que “ao invés de se fazer prévias com amplo debate em que a escolha do candidato se dê mediante o estatuto e a democracia partidária, a atual maioria da CNB da executiva municipal insiste na indicação intransigente de uma candidatura à prefeitura”. Essa nota pode ser lida aqui: https://bit.ly/2VOQBhS

SOBRE A ESCOLHA DA CANDIDATURA EM SÃO PAULO – DZ PINHEIROS

A democracia é um valor estratégico para o PT desde sua fundação. Ela permitiu não apenas construir o primeiro governo popular de nossa história, mas também organizar a pluralidade de ideias que nos caracterizam. Foi através da abertura ao debate que construímos um partido no qual mais de trezentas mil pessoas no Brasil se sentem chamadas à responsabilidade para participar em processos de votação interna. Foi essa concepção que abriu espaço para que se formassem Núcleos e que fez com que nas grandes cidades tivéssemos instâncias de base como os Diretórios Zonais.

Em um período de pandemia que exige de nós reinventar nossa organização para podermos reinventar a vida, não podemos abrir mão desse princípio democrático. Por isso, nós do Diretório Zonal de Pinheiros defendemos que a decisão de nossa candidatura para prefeitura de São Paulo seja condizente com nossas formulações e não se restrinja ao Diretório Municipal. Entendemos que a pandemia nos impede de ter o processo de prévias como previsto, mas ela deve servir para sermos ainda mais inovadores em nossos métodos. Essa eleição será o principal palco para confrontarmos tanto o projeto fascista do bolsonarismo, como a direita liberal tucana, defendendo nosso legado e indicando novas saídas. Precisamos nesse momento coesionar o partido ao redor de nosso candidato ou candidata. Nesse sentido o Diretório Municipal deve se reunir o mais rápido possível para discutir, analisar e definir mecanismos de consulta que ampliem a participação – certamente podemos encontrar saídas mais democráticas. Apenas como exemplo, os Diretórios Zonais não deveriam ser excluídos do processo, dado que representam o contato mais direto do partido com cada parte da cidade.

Nós devemos a cada dia reafirmar a disposição do PT em se reinventar para ser capaz de acompanhar a evolução dos anseios de sua militância e da classe trabalhadora. Fizemos isso ao construir os debates das prévias alcançando mais de 4 mil pessoas, ou quando lançamos novos instrumentos de comunicação como a TV PT, ou então quando articulamos novas redes pela cidade na promoção da solidariedade. Não podemos agora dar um recado inverso, resolvendo uma dificuldade pela restrição.

Confiamos que nosso partido vai reafirmar sua opção pela participação ampla e democrática também aqui na capital. Nesse momento em que o governo de Bolsonaro fraqueja e evidencia a falta de lideranças em seu campo, é preciso mostrar o vigor e a vivacidade de nosso projeto trazendo direções e a militância para que se manifestem.

Diretório Zonal de Pinheiros
Abril de 2020

Comente!