Página 13 publica relato de Ronaldo de Souza Costa, médico e militante petista, acerca da enorme carreata que ocorreu hoje (17) em Campo Grande -MS pelo Fora Bolsonaro, mostrando que o caminho é a mobilização e a organização.

Foto: Giovanni Colletti

Por Ronaldo de Souza Costa (*)

16 de Janeiro de 2021.

Estamos em pico de pandemia pelo novo coronavírus em Campo Grande.

E nós criamos aqui uma bolha deliciosa de amizade, de amor, de respeito, de identificação política e de militância. O André Lage me passa uma mensagem às 11h24min convocando para participar de um coletivo de partidos de esquerda e entidades para formar uma carreata para o dia 17/01/2021 com a proposta de Fora Bolsonaro.

Imediatamente eu me integrei no coletivo, e conclamamos a Solange B Rosa Costa a participar. Foi uma mobilização, exaustiva, intensa, cansativa, mas de grande adesão. Que movimento intenso e lindo, identificado em fundamentos de um conjunto de socialistas incansáveis, com marcas na vida e certeza de objetivos e propósitos.

Em menos de 24 horas na Avenida Afonso Pena, estavam um monte de mascaradas e mascarados enfileirando os carros para um ato emblemático e libertário para todos que amam a liberdade, a igualdade, o direito à vida.

Estimávamos no dia anterior reunir 100 veículos para a carreata, mas contamos, no ato, 450 veículos, com o ato sendo puxado por um ciclista que manifestava o grito libertário no puxamento do carro de som.

Neste dia 17 de janeiro de 2021 reunimos movimento e liberdade, pela direito igual à vida de todas as pessoas. E, de forma segura ganhamos as ruas, reunimos nossas forças e nossas palavras, reavivamos nossos diálogos e redimensionamos os nossos discursos, ali, no conjunto de militantes e lideranças, que consensualmente entenderam que existe estabelecida uma política de morte, integrada por assassinos poderosos protegidos pela burocracia e pelos benefícios financiados pelo estado ao executivo, ao legislativo e ao judiciário.

E vimos que juntos e organizados somos muito mais fortes e assertivos nos atos da luta, que nesse momento é mais pela sobrevivência do que pela vida. Continuamos nossa batalha. Temos conjunto e temos forma.

Agora é organizar, pensar, deliberar, resistir, lutar e vencer. Fizemos um 17 de Janeiro muito positivo em Campo Grande-MS. Vamos à luta companheiros e companheiras. Viva o protagonismo da militância petista!

Veja alguns registros da carreata:

 

(*) Ronaldo de Souza Costa é Médico Clínico e Médico do Trabalho, Coordenador do Setorial Municipal de Saúde do PT de Campo Grande-MS. 


(**) Textos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da tendência Articulação de Esquerda ou do Página 13.

Comente!