Reunida em Recife nos dias 27 e 28 de janeiro de 2018, a direção nacional da tendência petista debateu o Congresso do Povo, convocado pela II Conferência da Frente Brasil Popular, e aprovou resolução que Página 13 divulga a seguir.

 

Resolução sobre o Congresso do Povo
1. A segunda conferência da Frente Brasil Popular convocou o Congresso do Povo.

2. O Congresso do Povo terá como uma de suas pautas o debate sobre o programa. Este debate precisa levar em conta o acúmulo programático das organizações que integram a Frente, assim como o acúmulo dos setores envolvidos na luta contra o golpe.

3. Neste sentido, propomos que o coletivo nacional da FBP e o seminário, nos dias 1 e 2 de fevereiro, analise este acúmulo programático e que a metodologia de preparação do Congresso leve isto em conta.

4. Contudo, não atuamos em condições de normalidade. O Congresso do Povo está sendo construído num momento político extremamente tenso e delicado. Portanto, é preciso discutir não apenas o programa e metodologias de trabalho de base, mas também, e principalmente, como vincular o Congresso com as disputas conjunturais, mais exatamente com a defesa da democracia e o direito de Lula ser candidato; e com a luta contra as políticas golpistas, a começar pela defesa da aposentadoria.

5. O ideal é que as tarefas acima listadas fossem realizadas antes da reuniao do coletivo nacional e do seminário de metodologia, ou que estas reunioes fossem adiadas. Como ambas coisas não são possíveis, defendemos que nos dias 1 e 2 de fevereiro o coletivo e o seminário levem estas questões em conta.

6. Além disso, para estabelecer aquele vínculo, é importante que o seminário debata a organização das atividades preparatórias do Congresso de modo que se dediquem a tarefas de agitação e mobilização para lutar em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato e contra as políticas golpistas.

7. Neste sentido, é fundamental que participem do Congresso do Povo todos os setores que estão na luta em defesa da democracia e pelo direito de Lula ser candidato, como a Frente Povo Sem Medo e a Intersindical, bem como os setores envolvidos na iniciativa denominada “Projeto Brasil Nação”.

8. Assim, propomos convidar estes setores para o seminário de metodologia. E, se não for possível a participação deles na data prevista, fazer uma segunda etapa do seminário com a presença deles.

9. O Congresso do Povo impulsionará a mobilização contra as políticas golpistas e debaterá um programa às vésperas de uma eleição presidencial. É preciso, portanto, enfrentar duas questões: 1) a necessidade de antecipar o calendário do Congresso; e 2) como trataremos o fato de que a Frente Brasil Popular possui, no seu interior, apoiadores de duas candidaturas (Lula e Manuela) e, caso tenhamos sucesso em incorporar a Frente Povo Sem Medo, teremos apoiadores de uma terceira candidatura (Boulos).

10. Neste sentido, propomos uma discussão formal com o PT, com o PCdoB e com o PSOL acerca destas questões. Entendemos que, nos dias 1 e 2 de fevereiro, o coletivo nacional da FBP e o seminário devem debater como tratar esta questão política.

Recife, 28 de janeiro de 2018
Direção Nacional da tendência petista Articulação de Esquerda

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho