A direção nacional da tendência petista Articulação de Esquerda, reunida no domingo 29 de agosto, aprovou a seguinte resolução sobre a conjuntura.

1.No dia 7 de setembro, além da comemoração da Independência, ocorre também a tradicional manifestação do Grito dos Excluídos. Para esta mesma data, foi convocada mais uma manifestação nacional da campanha Fora Bolsonaro.

2.O povo brasileiro tem o direito de manifestar-se publicamente em favor do afastamento do presidente da República, cobrando do presidente da Câmara dos Deputados que faça tramitar um dos mais de 160 pedidos de impeachment que já foram entregues ao parlamento brasileiro.

3.A permanência de Bolsonaro à frente da presidência da República é uma ameaça permanente à saúde pública, à soberania nacional, aos direitos sociais e às liberdades democráticas.

4.Uma prova disto é a convocação – feita com o apoio direto do presidente da República – de uma manifestação golpista para o mesmo dia 7 de setembro. Militares e policiais militares, da ativa e da reserva, junto com os ruralistas, parecem estar decididos a transformar a manifestação do dia 7 em uma demonstração de força da extrema direita.

5.Neste intuito, contaram com a inestimável ajuda do governador de São Paulo, João Dória, que – passando por cima dos regulamentos – autorizou a extrema direita a se manifestar na Avenida Paulista, em São Paulo capital, ao mesmo tempo que tentou impedir que a oposição pudesse se manifestar no Vale do Anhangabaú.

6.Apesar da justiça ter garantido o direito da oposição de ocupar o Anhangabaú, todos os sinais são de que o governo do estado de São Paulo e sua Polícia Militar vão garantir apenas a segurança da manifestação da extrema direita.

7.Sendo assim, a direção nacional da tendência petista Articulação de Esquerda aprova as seguintes orientações:

7.1.Toda a nossa militância deve se envolver na organização e mobilização das manifestações de 7 de setembro;

7.2.Nosso objetivo é que em todas as cidades do país haja manifestações pelo Fora Bolsonaro, preparadas por atividades menores nas periferias, nos locais de trabalho, de moradia, de estudo, nos espaços de cultura e lazer;

7.3.Quanto maior o comparecimento, maior será a segurança das manifestações;

7.4.Devemos estimular as organizações partidárias, sindicatos e movimentos a organizarem blocos, que compareçam unidos e identificados aos atos, assim como dispersem em ordem ao final;

7.5.Devemos contribuir, também, para que todas as manifestações organizem sistemas de comunicação e de registro em vídeo e fotografia dos atos;

7.6.Devemos contribuir para que todas as manifestações contem com equipes que impeçam a ação de provocadores e infiltrados.

8.Propomos à Executiva e ao Diretório Nacional do PT que se reúnam imediatamente, para debater a situação e emitir as devidas orientações.

9.Ademais das orientações necessárias para o 7 de setembro, propomos que o DN aprove uma resolução fechando questão contra a indicação de André Mendonça para a vaga do STF, como parte de um endurecimento de nossa tática parlamentar no Senado e na Câmara.

10.Vale registrar ser inaceitável que senadores petistas tenham votado pela recondução de Aras à PGR. Assim como são igualmente inaceitáveis as declarações do vice-presidente nacional do PT, Washington Quaquá, que desrespeitou e tentou desautorizar a resolução do Diretório Estadual do PT-RJ, que aprovou inequivocamente a posição de oposição ao governador Cláudio Castro. O governador repetidamente dá declarações à imprensa de apoio à reeleição de Bolsonaro, é defensor da chacina do Jacarezinho e de uma polícia que extermina a juventude pobre e preta, além de promotor – em conluio com Paulo Guedes e o clã Bolsonaro – da privatização da água no estado do RJ.

11.O governo Bolsonaro, aflito com sua queda de popularidade e com a perspectiva de ser derrotado nas eleições presidenciais, decidiu aprofundar o conflito político e institucional.

12.Bolsonaro não será detido por notas de protesto, artigos nos jornais, convites ao diálogo por parte dos governadores. Como disse o próprio presidente, ele só sairá desta crise preso, morto ou com a vitória. Nós que o queremos preso, devemos jogar todas as nossas energias na mobilização de massas.

 Brasília, 29 de agosto de 2021

 A direção nacional da tendência petista Articulação de Esquerda

Comente!