EDITORIAL – COM LULA, ATÉ A VITÓRIA

As últimas pesquisas eleitorais e a manifestação da Organização das Nações Unidas – ONU pelo direito de Lula ser candidato e de ter sua participação plena no processo eleitoral garantida confirmam o acerto de sua candidatura e da linha política adotada de que Eleição Sem Lula é Fraude.

Isso não impediu – ao contrário – o condomínio golpista cometer mais um hediondo crime contra Lula, impedido no último dia 31.08.2018 de participar do processo eleitoral por uma – mais uma – decisão casuísta do TSE, a qual já recorremos na ONU e no TSE.

A recente pesquisa dos bancos, encaminhada pelo BTG Pactual, comprova a reação do povo brasileiro a mais um ato de perseguição: Lula cresceu, na pesquisa deles, de 35 para 37% em intenção de votos, comprovando sua liderança absoluta.

Precisamos traduzir este carinho e a solidariedade do povo brasileiro em indignação e luta contra o governo usurpador, contra as candidaturas do golpismo e da agenda de destruição do país. Cada vez mais, um número significativo de trabalhadoras e trabalhadores e parcela expressiva do povo brasileiro compreendem que aconteceu um golpe de estado em nosso país, golpe contra as liberdades democráticas, contra os direitos e conquistas da classe trabalhadora brasileira, contra a soberania nacional.

Até setores da própria esquerda, em geral os que “ontem” já gostariam de implementar a tática do malfadado Plano B, surpreendem-se com o fato de que Lula, preso desde o dia 7 de abril deste ano e impossibilitado de se comunicar com o povo brasileiro, continua a crescer em todas as pesquisas de opinião realizadas, apesar do bombardeio midiático a que é cotidianamente submetido.

Milhares de trabalhadoras e trabalhadores ligados aos movimentos sociais mais organizados e combativos marcharam por cinco dias a Brasília e no último 15 de agosto encontraram-se com mais de 50 mil pessoas para o registro da candidatura de Lula presidente, fato omitido pela imprensa golpista mas que não passou despercebido na sociedade brasileira, tamanha sua repercussão até os dias de hoje.

Cada vez mais se desmoraliza o condomínio golpista e, apesar dos meios de comunicação de massa, especialmente a Rede Globo, repetirem incansavelmente a mentira de que Lula não poderia ser candidato, todas as pesquisas de opinião realizadas confirmam sua vitória no primeiro turno, com o crescimento de suas intenções de voto que são mais do que superiores a soma de todos os adversários e demais concorrentes.

Os pífios desempenhos das candidaturas ligadas ao golpe – ao governo usurpador de Michel Temer e à sustentação golpista – demonstram que o povo brasileiro prepara nestas eleições uma dura resposta ao golpismo, que segue cada vez mais desmoralizado pelos seus próprios atos, como por exemplo o recente ato do judiciário de aumentar seu próprio salário em 16%, que deverá ser ainda votado no Congresso.

A conjuntura internacional se destaca com ampla repercussão midiática da condenação sem provas de Lula e das recentes manifestações da Comissão de Direitos Humanos da ONU pelo direito à sua candidatura e plena participação no processo eleitoral, da solidariedade do Papa Francisco, de juristas renomados do mundo inteiro, de Michele Bachelet e, mais recentemente, do ex-presidente da Colômbia, Ernesto Samper. Solidariedade acompanhada pela forte campanha do prêmio Nobel da Paz, Adolfo Peres Esquivel, que já arrecadou mais de 300 mil assinaturas para conceder igual honraria a Lula.

Os partidos que integram a frente “O Brasil Feliz de Novo” precisam intensificar a denúncia e mobilização social e popular pelo direito internacionalmente reconhecido de Lula ser candidato e nos prepararmos para vencer ou vencer: derrotando o golpe, revogando suas medidas, convocando uma constituinte soberana. E, a partir disso, governarmos em uma nova situação política e social, de grande polarização com os inimigos da classe trabalhadora: o grande capital nacional e internacional e seus operadores. O povo quer Lula porque ele representa um programa que polariza com o programa golpista; o povo não quer Alckmin nem Meirelles porque representam o programa do golpe e este sistema político apodrecido.

Vencer ou vencer com Lula!

Este post tem um comentário

  1. Porem mais importante neste momento é ter conciencia que LULA representa o Programa Democrático e Popular que está em jogo nas eleições, e
    é o objetivo maior e que não podemos deixar nenhuma brecha para que os golpistas venha a impugnar uma vitória possível com HADDAD e MANU. portanto tem que ter inteligência emocional e política e assumir a campanha sem LULA a partir de hoje.

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho