Por Jéssica Ellen*

 

Nos dias 2 e 3 março de 2018, ocorreu a segunda etapa estadual do IV Congresso da Articulação de Esquerda no Piauí. A atividade aconteceu no auditório do Sindicato dos Comerciários de Teresina e contou com a presença forte de líderes sindicais e representante de outros movimentos sociais que organizam a classe trabalhadora no estado.

Foram eleitos 5 delegados e delegadas para a segunda etapa do Congresso Nacional, aprovadas de pautas estaduais e eleita a nova direção estadual da AE, debatendo medidas táticas e organizativas dentro no cenário político, com uma presença forte da juventude.

Foi apresentada a necessidade de manter a coerência que na atual situação de incerteza e de uma militância que paute estratégias em defesa de Lula, do PT e da candidatura de companheiros e companheiras petistas, que vêm sofrendo diversos ataques, mostrando o posicionamento da AE de enfretamento político mobilizador, visando também as campanhas eleitorais de 2018.

Estabeleceram-se temas que devem ter mais relevância dentro da construção interna da tendência, como a atuação nos movimentos culturais e dentro da CUT e Juventude da CUT.

Pautas estaduais aprovadas:

1) Defesa da candidatura da senadora Regina Sousa. De acordo com a situação de incerteza, deve ser difundido o nome da companheira, devido a história de luta e representação como militante e mulher dentro dos Partidos dos Trabalhadores, assim como dizer “não” a negociação de sua candidatura feita por setores do partido.

2) Os candidatos da tendência não subirão em palanques de golpistas, mantendo e reforçando o posicionamento de que “Petista não se alia a golpista”, sendo essa uma medida prática. Com isso, foi relevado a questão das alianças a partidos golpistas propostas por representações petistas no estado que impulsionam a ideia das classes dominantes, o que vem em desencontro com as prerrogativas do Partido e a vontade dos militantes.

3) Defesa da realização de um congresso extraordinário estadual da JPT em meio a possibilidade real da não realização do 4º Congresso nacional da JPT, resistindo contra a má vontade política de setores do partido. Com isso, é indescritível a necessidade de espaço para a juventude dentro do partido e também um medida para combater o afastamento e apartamento do PT da juventude, o que vem trazendo grandes prejuízos políticos e organizativos.

4) Formação de chapas próprias orgânicas da AE no próximo PED, salvaguardando e legitimando os quadros da tendência e ampliando a luta para fortalecer nossa presença no meio institucional, assim quebrando vícios políticos de representações de poder controlador.

 

* Jéssica Ellen é militante do PT no Piauí

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho