Por Águida Helena Vieira (*)

Em Patos de Minas, região do Alto Paranaíba no interior do estado, o governo Zema venceu as eleições e surpreendeu. É o primeiro prefeito sem o domínio dos coronéis.

Dos 8 partidos que disputaram chapa majoritária: 4 eram de direita; 2 progressistas e 2 de esquerda. O Partido dos Trabalhadores ressurgiu das cinzas, apresentou um plano político atualizado, socialista, com metas de desenvolvimento social e econômico dentro de uma cidade educadora.

Depois de 30 anos o PT de Patos lançou uma chapa majoritária. Com a melhor participação nos 3 debates, conhecimento, coerência e política correta em todas as entrevistas conseguimos realizar uma excelente campanha. Mesmo sem o compromisso de ganhar nas urnas, levamos adiante o plano nacional do partido: defesa do SUS; do meio ambiente; contra as privatizações; Lula 2022; denúncia do golpe em Dilma Rousseff; críticas ao desgoverno e Fora Bolsonaro.

Crescemos politicamente na região, em um cenário político que é um campo aberto para o bom combate a partir da recuperação do partido. A região não conta com representantes parlamentares, possuindo apenas um médico parasita do PV que recebe o bom salário de deputado estadual e somente aparece pra votar contra o povo.

Vencer o antipetismo é e será o maior desafio, mas avançamos. Temos o compromisso de filiar companheiras e companheiros, fortalecendo a base. Durante os anos de estagnação política, a direção do partido esteve sob controle do vereador reeleito por 3 vezes. Um vereador que se desfiliou do partido em março.

Não houveram filiações e tivemos muitas desfiliações. O partido hoje não tem representações de mulheres, juventude, negros, movimentos sociais e sindicatos… tivemos muita dificuldade pra montar a chapa proporcional, pois a maioria dos filiados que constam na lista do TRE nós não conseguimos encontrar.

A maioria dos filiados encontrados são de 30 anos atrás. Não são base do PT, mas sim do vereador, que fez campanha pro candidato majoritário do PSB. Teve inclusive a audácia de pedir intervenção no partido aqui, a favor do candidato majoritário deles.

Este vereador apoiou publicamente um outro candidato a vereador do PDT que foi eleito. Usufruiu das benesses do partido e se foi, nos desconstruindo e buscando os votos do partido pra outras legendas.

Nos consideramos vitoriosos e no caminho certo. Tivemos mais de 900 votos e muito reconhecimento pelo trabalho. Fizemos uma campanha de paz e esperança. Todo esse trabalho foi coordenado pela tendência petista Articulação de Esquerda de Minas Gerais, num esforço conjunto de uma equipe que mostrou política correta, equilíbrio, capacidade e muita vontade de mudar o jogo. Lilian Macena, Geraldo Abreu, Bruno Mariano, Sônia Soares, Vinícius Dias, Lucas Chiannello e humildemente eu, Águida Helena, que aceitei o desafio, a ousadia de abrir caminho para o partido avançar na nossa região.

Agradeço a todos, ao Partido dos Trabalhadores estadual e nacional que nos apoiaram e nos incentivaram. Valeu!

(*) Águida Helena Vieira é presidente do Partido dos Trabalhadores e foi candidata a prefeita de Patos de Minas


(**) Textos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da tendência Articulação de Esquerda ou do Página 13.

Comente!