Por Valter Pomar (*)

O senador Rogério Carvalho votou a favor do governo e contra a transparência

Ontem o Congresso Nacional decidiu manter secreto o “Orçamento Secreto”.

Na Câmara dos Deputados, a votação foi 268 sim, 31 não.

No Senado, a votação foi 34 sim, 32 não.

No Senado, a bancada do PT decidiu votar não.

Na Câmara, a bancada do PT decidiu pela obstrução.

Acontece que havia na bancada do PT um setor decidido a votar “sim”.

Como a decisão foi pela obstrução, não há como ter certeza quem teria votado “sim” e quem teria votado “não”.

Resultado: não apenas o orçamento continua secreto, mas também seguem “secretos” os motivos de alguns parlamentares do meu partido, o PT.

Mas eis que surge a luz e a salvação: o senador Rogério Carvalho.

Contrariando a posição da bancada do PT no Senado, o senador votou a favor do orçamento secreto.

Detalhe: se ele tivesse votado “não”, a coisa teria terminado empatada: 33 a 33; caberia talvez ao presidente da Casa desempatar.

O voto do senador Rogério Carvalho provavelmente salvou o presidente do Senado, mister Pacheco, desta situação, nada agradável para um – dizem – pré-candidato à presidência da República.

Seja como for, agradeço ao senador Rogério Carvalho, que nos permite agora perguntar: por quê?

Que motivos levam parlamentares do PT a votar (ou a querer votar) a favor do orçamento secreto?

Ou estes motivos também são secretos?

Com a palavra, o senador Rogério.

(*) Valter Pomar é professor e membro do Diretório Nacional do PT

Comente!