Por Antônio Augusto (*)

O desespero da direita neofascista contra a empolgante candidatura de Guilherme Boulos, em São Paulo, toma formas curiosas e perigosas.

Além do caminhão de “fake news da direita contra ele no 1º turno – a que não faltou um vídeo “fake” usado pelo bolsonarista Celso Russomano num debate eleitoral dos candidatos -, já a partir do dia seguinte à apuração desta primeira volta, nova tsunami de “fake news” contra Boulos inunda as mídias digitais.

Existe uma modalidade agora empregada de maneira intensa. O extremismo de direita posta no Facebook, e em outra redes sociais, mentiras com o objetivo de serem replicadas em perfis de pessoas de esquerda. Busca-se explorar e fomentar divergências entre partidos de esquerda, notadamente entre o PT e o PSOL.

A coisa funciona assim. Perfis “fakes”, pretensamente de apoiadores do PT ou do PSOL, monitorados por robôs, espalham as “divergências”, “traições”, baseadas em “fakes news”, e buscam semear a cizânia.

Alguns incautos caem na esparrela imunda. Vamos pôr um ponto final nisso e fazer os ratos bolsonaristas voltarem a seus esgotos.

Assim, espalham-se “fake news” grosseiras e grotescas, de que Boulos estaria entre os que foram às ruas para derrubar a presidenta Dilma, que ele só entrou num partido político depois de ter ajudado a promover o desgaste do PT, fazem postagens desrespeitosas à enfermidade do adversário Bruno Covas (PSDB) e as atribuem à campanha de Boulos, etc, etc. Tudo com fotos falsas e descontextualizadas, agressões grosseiras, o DNA puro do bolsonarismo, tanto o explícito como o enrustido.

Como se não bastassem postagens tão “fakes”, fascistas e infames, perfis falsos invadem páginas de pessoas de esquerda, estimulam antagonismos nos comentários.

 

ELEIÇÃO DE SÃO PAULO PODE SER

DERROTA VITAL PARA O GOLPISMO E O BOLSONARISMO

Tudo isso reflete o desespero da direita com os resultados obtidos pela esquerda no 1º turno em São Paulo, os cerca de 20% de Boulos, e 9% de Tatto, a minguada performance do candidato abertamente bolsonarista, Russomano, que acabou com a metade da votação de Boulos.

Como demonstrou o primeiro debate neste início de campanha do 2º turno, Boulos, é longe o melhor candidato: genuinamente democrático, o que Bruno Covas, um golpista, não é; Boulos é identificado com o povo; muito mais preparado intelectual e politicamente do que seu oponente; conhecedor de São Paulo, não só dos Jardins, mas do dia-a-dia sofrido das periferias e quebradas.

Boulos, ao contrário de Bruno Covas, não é um subordinado aos grandes empresários, a turma podre de muita grana, os donos da maior frota privada de helicópteros do mundo. Estes sanguessugas do povo são a fonte inesgotável de recursos para os tucanos, recursos a serem cobrados com juros quando seus protegidos se elegem surfando um mar de dinheiro.

Daí surgem escândalos como a corrupção infindável da construção do metrõ paulistano em administrações tucanas, os tucanos dos carregamentos de propinas, os Paulos Pretos inseparáveis do PSDB.

Agora o principal, a dinâmica unitária das forças democráticas e populares: quando realmente unido, o povo tem capacidade para se tornar força imbatível na defesa dos seus interesses.

Vamos jogar no lixo todas estas “fake news” da direita golpista, expulsando de nossas páginas digitais os que as espalham.

Vamos jogar no lixo a nunca punida e oceânica corrupção tucana.

PSOL, PT, e PCdoB, além de todos os democratas, e ativistas populares, estamos unidos para levar Boulos a uma extraordinária vitória na maior cidade da América do Sul. O que o bolsonarismo, e seus aliados tucanos, bem como toda a direita, mais temem nesta eleição, é a vitória de Boulos.

E nós estamos unidos:

Jilmar Tatto: “Boulos pode contar comigo e com nossa militância para virar o jogo em São Paulo”.

PCdoB: “Boulos e Luiza Erundina representam o “campo democrático e popular: o compromisso com as bandeiras de geração de emprego, combate à desigualdade social, ao machismo e ao racismo estrutural”.

Lula: “Todos os eleitores e eleitoras que votam no PT, todos os eleitores progressistas, todos os que querem restabelecer a democracia no Brasil têm agora o compromisso histórico de votar no companheiro Guilherme Boulos para prefeito de São Paulo”.

(*) Antônio Augusto é jornalista

 


(**) Textos assinados não refletem, necessariamente, a opinião da tendência Articulação de Esquerda ou do Página 13.

 

Comente!