Lançamento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República em Contagem (MG), no dia 8 de junho. (Foto: Douglas Magno/AFP)

 

Por Roberto Nery*

 

No dia 08 de junho, aconteceu em Contagem (MG) o lançamento da pré-candidatura de Luis Inácio Lula da Silva à Presidência da República. Militantes e parlamentares aguerridos de vários cantos de Minas e do Brasil compareceram ao evento, que também lançou a candidatura de Fernando Pimentel ao Governo de Minas Gerais. Para o Brasil ser feliz de novo, o povo deixou claro que quer o homem no governo e a política popular no comando.

Preso político há mais de dois meses, Lula foi impedido de participar do evento e gravar algo, porém esteve presente com o Manifesto ao Povo Brasileiro escrito por ele, lido na voz de Dilma Rousseff. “Tenho certeza que podemos reconstruir este País e voltar a sonhar com uma grande nação. Isso é o que me anima a seguir lutando. […] E até hoje me pergunto: onde está a prova?”. E todos nós fazemos a mesma pergunta até hoje: cadê a prova?

Mesmo sem resposta, Lula foi injustamente condenado e preso. Porém, como ele mesmo diz, jamais irão aprisionar nossos sonhos. Em busca de uma sociedade mais justa, com direitos assegurados a todas e todos, com um plano de emergência que recupere o emprego, o desenvolvimento e o combate às desigualdades, recupere as empresas estatais, revogue as medidas antipopulares, convoque uma Assembleia Nacional Constituinte e estabeleça um programa democrático-popular, que registraremos a candidatura Lula em 15 de agosto, o elegeremos em outubro, daremos posse no dia 1º de janeiro e governaremos o país!

Cabe a nós, militância petista, garantirmos que não haja plano B, nem arrego!

Além disso, temos que utilizar de todas as nossas candidaturas (seja a presidência, governos estaduais, Senado, Câmara dos Deputados e assembleias estaduais) em favor de um projeto “anti-imperialista, antimonopolista, antilatifundiário e radicalmente democrático”, como afirma a resolução eleitoral do VI Congresso do PT. Portanto, é necessário defender que “petista não vota em golpista” e não alia a partido que articulou o processo sem provas contra a legítima Presidenta Dilma! Diremos “não” para alianças com MDB, PSD e quaisquer outros partidos golpistas, sem nos apoiar em alianças falsas e eleitoreiras, nos aliando à classe trabalhadora brasileira e mundial.

Temos que reafirmar tal posição partidária e consolidar planos de governo à esquerda, com as diretrizes já colocadas, além de várias outras pautadas pelos movimentos populares; e, principalmente, não nos iludirmos, achando que apenas a luta institucional irá dar fim a exploração e aos demais problemas do modelo capitalista vigente. Somente com a retomada da luta social e da luta ideológica, com o retorno do diálogo com a base e organização e conscientização das massas, poderemos partir para a concretização do pensamento socialista na sociedade. E para atingirmos isso precisaremos das mãos de quem colhe a plantação, de quem pesca no mar, de quem opera as máquinas, dos que sujam a mão de giz para ensinar nosso povo, dos jovens, das mulheres, dos negros e das negras, dos LGBTs, ou seja, de toda classe trabalhadora!

Por Dilma candidata a senadora por Minas Gerais! Por Marília Arraes candidata governadora de Pernambuco! Por Professor Dudu e Joel Almeida candidatos ao governo e Senado em Sergipe! Não a alianças com Adalclever Lopes, Antônio Andrade (ambos do MDB-MG), Belivaldo Chagas (PSD-SE), Jackson Barreto (MDB-SE) e Paulo Câmara (PSB-PE)! Por candidaturas petistas ou de aliados programáticos aos cargos executivos e legislativos! Por uma forte bancada petista de parlamentares federais e estatuais! Por Lula livre, inocente e Presidente!

 

* Roberto Nery é graduando em Ciências do Estado na UFMG, Diretor de Movimentos Sociais da UEE/MG e militante do PT.

Comente!

Fechar Menu
×
×

Carrinho