A seção municipal do Partido dos Trabalhadores realizou seu Encontro de delegados representados pelos membros de seu Diretório local para discutir a “Tática Eleitoral 2020”.

E, apesar das dificuldades inerentes a uma reunião “virtual”, foi possível construir uma resolução unitária que se assentou em dois grandes eixos: a aprovação de um nome petista para a disputa da PBH, nome este com estatura política para liderar uma Frente antifascista na capital mineira. Considerando estratégica a construção dessa Frente, o PT dialogará com partidos e lideranças de movimentos sindicais, sociais e populares, apresentando seu nome e propostas programáticas, e apreciando nomes e propostas que advirem dessas forças progressistas e de esquerda.

Frente esta, relembre-se, que vem sendo edificada desde 2019, tendo ampla acolhida na esquerda local. E com a evolução da conjuntura, a importância dessa unidade se aprofunda: é urgente colocar um fim ao governo necropolítico de Bolsonaro, que tende a levar o povo pobre deste país a uma situação insustentável de sobrevivência, o que justifica seu impeachment. E confrontar isso é obra de uma multiplicação de forças e não de sua divisão. Tendo como ponto de partida, os acúmulos de décadas de vitórias e construções de políticas públicas, tais como: Orçamento Participativo, Bolsa Família, fortalecimento dos conselhos temáticos, segurança alimentar, ações protetivas a populações vulneráveis, de promoção dos direitos das mulheres, de negros e negras, das populações LGBT, da juventude, dos idosos e idosas etc.

A adesão à iniciativa de uma Frente democrática e popular para disputar a PBH ainda se expressa nas mais de 500 assinaturas de militantes e lideranças no “Manifesto” em circulação. E na plenária virtual belorizontina (do PT), realizada no sábado (13/06), os comentários (dentre os vocalizaram opiniões e os que escreveram no “chat”) foram unânimes em defesa da unidade da esquerda e dos progressistas em BH.

Correntes, setores de tendências e lideranças variadas do PT, em Minas Gerais investem no caminho estratégico destacado acima. Dessa forma, juntos com partidos de esquerda e setores de partidos progressistas, sinalizamos para a maioria da população com esse esforço de unidade. Movimentos sindicais, sociais e populares combativos, também. Já há, no apoio à citada Frente, a adesão da intelectualidade, de movimentos culturais e de grande parte das autoridades sanitárias que se destacam hoje no combate à Covid 19  em BH, cujo pronunciamento à sociedade já alcança setores mais amplos, dada a sua credibilidade científica.

Temos a convicção de que este é o caminho, não só para BH, mas para todo o país. Unidade das esquerdas e do campo democrático para derrotar o bolsonarismo.

FORA BOLSONARO.

Belo Horizonte, 14 de junho de 2020 – 92 anos do nascimento de Ernesto Che Guevara

Democracia Socialista, Esquerda Popular Socialista, Articulação de Esquerda.

Comente!