Página 13 divulga nota da Coordenação Nacional de Juventude da tendência petista Articulação de Esquerda sobre a participação do PT na direção da UNE.

 

Nota sobre a participação do PT na direção da UNE

Nesta segunda-feira, 29/07, aconteceu a reunião para composição da nova diretoria da União Nacional dos Estudantes.

Pela primeira vez em décadas, o Partido dos Trabalhadores ficará fora da mesa diretora da UNE, espaço que representa a linha política da entidade, com suas principais figuras e forças políticas, composta pela presidência, vice-presidência e secretaria-geral da entidade. Ainda que possam ocorrer composições para que o PT ocupe espaços importantes na Executiva da UNE, fato é que estará ausente da mesa diretora.

Esta ausência, no entanto, não significa que houve uma diminuição das forças petistas no movimento estudantil. Neste 57º CONUNE a delegação petista era individualmente a segunda maior do congresso, com mais de 1.200 delegadas e delegados eleitos.

Esta ausência, que possui imenso significado político, é resultado de uma opção errada da maioria dos setores do partido. Foi uma escolha política colocar a participação do PT na direção da mais importante entidade estudantil do país de forma submissa a alianças que, como se vê, derrotaram o Partido.

Caso tivesse apresentado chapa própria, os estudantes petistas não só teriam sua presença real assegurada da mesa diretora da UNE, como reuniriam condições de agregar diversos outros setores do movimento estudantil.

Esta foi a posição defendida pela chapa petista “UNE para tempos de guerra” no 57º CONUNE. Mas a quase totalidade das tendências petistas escolheu o caminho fácil das alianças submissas ao PCdoB.

Que sirva de lição: vivemos tempos de guerra e o PT não pode se furtar de defender corajosamente suas posições. Não será com atalhos, que nos fazem colecionar derrotas, que acumularemos força para vencer as mais importantes batalhas em defesa da classe trabalhadora.

Coordenação Nacional de Juventude da AE

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho