Nós, mulheres da Articulação de Esquerda, tendência interna do Partido dos Trabalhadores, viemos prestar, primeiramente, toda a nossa solidariedade à companheira Angelita da Rosa, Procuradora Geral do Município de São Leopoldo. Em segundo lugar, queremos repudiar e denunciar a atitude machista e misógina do Chefe de Gabinete do vereador Marcelo Buz- PMDB, Rogério Lopes Machado.

No dia 06 de fevereiro de 2018, o agressor desencadeou uma série de ataques, no Facebook, após uma postagem feita pela vítima, Angelita, no seu perfil pessoal sem que ela tenha feito qualquer citação ao agressor. A vítima sequer é amiga do agressor na referida Rede Social. As agressões consistiam em atacar Angelita pelo fato de ser mulher e de está em uma posição profissional e política de destaque, alegando que não “passava de um rostinho bonito” e que ela não tinha competência para o cargo, imputando à vítima, inclusive, que a mesma teria praticado crimes. Acusações das quais o agressor fez sem qualquer comprovação.

Salientamos que nunca a vítima respondeu a qualquer processo criminal ou a inquérito policial. O agressor escreveu nas redes sociais, além de tudo isso, que a Procuradora estava no cargo que está por ter “comprado a vaga”, porque segundo ele mulher não tem competência profissional e capacidade de estar em um lugar de destaque.

O agressor é eleitor do Bolsonaro e expressa um pensamento que precisamos exterminar na sociedade: a de que as mulheres são seres inferiores aos homens e  não podem estar nos lugares de poder e de decisão, pelo o único fato de serem mulheres.

Sabemos que o machismo é um problema estrutural da sociedade. Sabemos também que esse tipo de pensamento legitima e sustenta a gravíssima situação de violência contra a mulher que existe no país. Além de a prática em si ser violência moral e psicológica

Não deixaremos passar batido nenhum tipo de violência, pois, caso contrário, significaria ser cúmplice das estruturas machistas que movem a nossa sociedade. O Brasil vive um verdadeiro genocídio contra as mulheres. Nosso país é o quinto lugar que mais comete feminicídios (assassinato de mulheres por ser mulher) no mundo. De acordo com a ONU e o Ministério Público Federal, a cada oito horas morre uma mulher vítima de violência aqui.  Segundo esses mesmos órgãos, 90 % das mulheres no Brasil declaram sofrer algum tipo de violência contra a mulher.

Nesse sentido, repudiar e denunciar toda e qualquer forma de violência contra a mulher é obrigação da nossa tendência, do nosso partido e da sociedade em geral.  Fazemos parte do Partido que elegeu a primeira Presidenta mulher do país. Sabemos que temos muitos desafios para superar a condição de desigualdade entre homens e mulheres no país e isso passa por enfrentar a violência contra a mulher na sua estrutura e na sua cultura. Portanto, reafirmamos os nossos sentimentos de solidariedade a companheira Angelita e de repúdio a ação machista sofrida por ela. E, por isso, gritamos juntas: MEXEU COM UMA, MEXEU COM TODAS! MACHISTAS, FASCISTAS NÃO PASSARÃO!

Porto Alegre, 10 de fevereiro de 2018

Coordenação Estadual de Mulheres da AE- RS

Este post tem 2 comentários

  1. Moro no Rio e a articulação de esquerda como a Direção Estadual ou Federal, até hoje não me ouviram e nada fizeram pelos riscos de retrocessos na saúde mental. Quem falou algo foram os generosos Renato Cinco e Glauber, os dois do psol. Infelizmente o PT “nos deixa na porta estacionando os carros”. Por alto somos um enorme setor de votos. Nos esqueceram mas eu pessoalmente, nunca deixarei o partido que ajudei a fundar. Cadê Lindenberg?

    1. Prezado, encaminhamos a sua mensagem para a assessoria do Senador Lindberg Farias.

Comente!

Fechar Menu
×
×

Carrinho