Da redação

 

No dia 3 de março, após intensa, empolgante e importante discussão, a militância paraense da tendência petista Articulação de Esquerda decidiu nos mantermos firmes na defesa de Lula e de sua candidatura a presidente, com o objetivo de radicalizar as transformações sociais e estruturais no país e anular todas as medidas do governo golpista de Temer que atentam contra as liberdades democráticas, os direitos sociais e a soberania nacional.

Decidiu, também, apoiar a formação da Frente de Esquerda no Pará, composta por PT, PSOL e PcdoB. E manter a oposição a qualquer aliança política e eleitoral do PT, tanto no primeiro como no segundo turno, com os partidos e candidatos dos partidos golpistas e defensores dos interesses das classes dominantes paraenses (leia-se: PMDB, PSDB…). Além de apoiar os candidatos do PT para governador, senador e deputado federal, a militância da AE decidiu também apresentar o nome da companheira Telma Saraiva como nossa pré-candidata a deputada estadual nas eleições de outubro de 2018.

Telma Saraiva é historiadora e artista plástica, professora da PARFOR/UFPA, ativista cultural, atual secretária de cultura do PT-PA, membro do CNPC e coordenadora do Coletivo Cultural Ideias Aí.  Telma é filha de artesãos ceramistas, cujo pai foi fundador da primeira Cooperativa de Artesãos de Icoaraci e a mãe fundadora da primeira e hoje extinta Associação de Mulheres Artesãs de Icoaraci. Graduada em História pela UFPA e mestra em Ciências das Artes pelo ICA/ UFPA, hoje Telma coordena um importante coletivo que trabalha na defesa e salvaguarda do patrimônio cultural material e imaterial, integrando o Conselho Nacional de Políticas Culturais/CNPC na área de patrimônio material.

A candidatura de Telma Saraiva tem por objetivo defender os interesses das trabalhadoras e trabalhadores, das mulheres, da juventude, dos movimentos culturais, sociais e sindicatos que dia a dia lutam para transformar nosso estado e o país em favor dos interesses da maioria dos homens e mulheres paraenses, que sonham em construir uma sociedade mais humana, solidária, feliz e socialista. Também levanta a bandeira de que a Cultura e as artes são direitos de todo brasileiro(a) e podem ser meios para se prevenir problemas na segurança, educação e saúde.

 

Fonte: Página 13, n. 182, mar. 2018

Comente!

Fechar Menu
×
×

Carrinho