Partido comemorou centenário com desfile na praça Tiananmen; segundo líder chinês, ‘nova era chegou’, e país não vai tolerar ‘ensinamentos arrogantes’

Reprodução/New China
Cerimônia marcou os 100 anos do Partido Comunista da China

Publicado originalmente no Opera Mundi

A praça Tiananmen, em Pequim, foi palco nesta quinta-feira (01/07) de uma grande cerimônia para marcar o 100º aniversário do Partido Comunista Chinês (PCC). Durante discurso no evento, o presidente do país, Xi Jinping, disse que os chineses “não serão intimidados”.

Segundo ele, nações estrangeiras que tentem fazer isso “terão suas cabeças esmagadas”. “Qualquer um que se atreva a fazer isso, terá suas cabeças esmagadas com sangue contra a Grande Muralha de aço forjada por mais de 1,4 bilhão de chineses”, afirmou.

“O povo da China não é apenas bom em destruir o velho mundo, ele também criou um novo mundo”, disse Xi Jinping. “Só o socialismo pode salvar a China”, acrescentou.

Ele disse ainda que a China aprenderá com a experiência de outros países, mas não tolerará os “ensinamentos arrogantes” de outras nações. Segundo o líder chinês, “uma nova era chegou”, em que as potências mundiais não serão mais capazes de impor tratados desiguais à China; a nação chinesa, de acordo com Jinping, ergueu-se e não permitirá que mais ninguém controle o seu destino.

O presidente disse também que as autoridades do país devem transformar o Exército de Libertação Popular da China em uma das mais fortes Forças Armadas do mundo para proteger a segurança nacional. Ele destacou a importância de as modernizar e de proteger a soberania chinesa.

As declarações de Xi Jinping vieram no contexto da escalada de tensões entre a China e os EUA devido a uma série de questões, incluindo Taiwan e a investigações sobre as origens da covid-19.

O discurso do presidente foi acompanhado por cerca de 70 mil espectadores na praça Tiananmen.

Leia o discurso na íntegra (em inglês): Discurso de Xi Jinping

Comente!