Página 13 divulga carta aberta de educadores do PT contra a decisão do Governo do Estado do Ceará, encabeçado por Camilo Santana, de aderir ao programa  Escolas Cívico-Militares do Governo Bolsonaro. A carta circula pelas redes sociais e já conta com a assinatura de dezenas de educadores.

NÃO ÀS ESCOLAS CÍVICO-MILITARES DE BOLSONARO NO CEARÁ

(CARTA ABERTA)

À Direção Estadual do PT

Ao Governador Camilo Santana

Nós, professores e educadores petistas, em geral, tomamos conhecimento pela imprensa da decisão do Governo do Estado do Ceará, encabeçado por Camilo Santana (filiado ao PT), de aderir ao programa reacionário Escolas Cívico-Militares do Governo Bolsonaro.

A adesão é inaceitável! Ela atropela a avaliação das principais entidades científicas do campo da educação, das entidades sindicais docentes, das organizações estudantis que, há vários meses, denunciam o programa de Bolsonaro como de caráter antidemocrático, alheio a qualquer premissa pedagógica, voltado para impor um sistema repressivo sobre as redes escolares. Entre outras coisas, o Programa visa a reprimir o movimento estudantil e o movimento sindical docente.

Nenhuma consideração de ordem fiscal pode esconder o fato de que a adesão fortalece e legitima este ataque à educação e à democracia e se choca com a posição do PT que é claramente contrária a mais este desatino do desgoverno Bolsonaro.

Assim, nós, educadores petistas, exigimos da direção de nosso partido que se posicione publicamente sobre a questão, conforme as resoluções partidárias, assim como exigimos do Governador Camilo que revogue imediatamente a adesão ao programa de Bolsonaro.

 

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho