Uma tese, apresenta conceitualmente um  ponto de vista,   neste  caso, uma proposta de política  para a nova gestão do Coletivo Estadual de Mulheres do PT/SP. “Mulheres para tempos de guerra. A esperança é feminista!” faz uma avaliação da conjuntura perversa para a classe trabalhadora e em especial para as mulheres. Aborda dentre outras questões a  importância das mulheres petistas para a forma como a sociedade vê as mulheres na política  e a  necessidade de construção de um feminismo  socialista associado a luta pela superação da opressão de gênero, ruptura com as desigualdades de classe e étnico-raciais.

Um feminismo para superar o capitalismo e dessa forma renovar as estratégias de atuação das   mulheres do PT nos diversos movimentos e agrupamentos que hoje se colocam no enfrentamento do capitalismo, do machismo, do racismo, da LGBTQIA+fobia, da defesa dos povos originários e imigrantes. Traz nossas tarefas e desafios  para a construção das pautas feministas,  de forma transversal, elaborando e conectando a agenda de lutas das mulheres com os demais setoriais e secretarias do PT.

A tese ” Mulheres para tempos de guerra. A esperança é feminista!”  é fruto de um esforço coletivo das militantes que compõem a chapa, e mostra que o protagonismo das mulheres no partido deve ser priorizado para que  se possa   avançar  nas lutas das trabalhadoras e trabalhadores. A escolha desta tese  demonstra que nossa política está correta e por isso foi reconhecida entre a maioria das quase 500 companheiras credenciadas e votantes na plenária  do dia 06/10/21 .

Quatro  chapas se inscreveram para o processo, sendo que uma delas não inscreveu tese e liberou o voto das mulheres. A participação de menos de 500 mulheres,  4.54%  das 11 mil filiadas credenciadas a votarem revela o distanciamento entre nossas militantes e o teor das teses, ou mesmo do quanto ainda não se considera importante esse processo. Neste cenário como garantir  a escolha de  nossas militantes? É preciso respeitar a política que aprovamos  e lutar para que seja  preservada de intervenções que a descaracterizem, para que possa guiar a organização estadual das mulheres do PT.

A tese ” Mulheres para tempos de guerra. A esperança é feminista!”  deixa de ser de uma chapa e passa a ser um fio condutor, para isso suas propostas precisam ser coletivizadas, compartilhadas e conhecidas das militantes.

O momento é de crise do capitalismo,  necropolítica,  fome ,  miséria, de guerra e o Partido das Trabalhadoras precisa pensar sua política a partir das lutas das mulheres ,  do fortalecimento  das mesmas  e da construção de sua autonomia . “Mulheres Para Tempos de Guerra, porque a Esperança é femininsta!”

Vanda Terra – 220 –  candidata a secretária estadual de mulheres

Chapa 420 – Mulheres Para Tempos de Guerra. A Esperança é Feminista

Chapa de Delegadas – 520

 

Comente!