Página 13 publica denúncia encaminhada (pdf aqui)  por membros da direção do PT de Patos de Minas acerca do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG).

A ação conta com a participação de membros filiados ao Partido dos Trabalhadores, bolsonaristas, representantes do Governo Zema, filiados ao PSOL e associações governistas.

Os trabalhadores da área da saúde no estado sofrem com as investidas do Governador Zema juntamente com alguns ex-diretores da instituição. Os filiados que articularam uma chapa de oposição no Sindicato sofrem com perseguições, com punições, exoneração, processos e afastamentos do trabalho, estes servidores têm denunciado uma série de eventos que deixam explícita a intenção de entregar a saúde pública no estado para a iniciativa privada, dentre as ações destacam-se:

  • Desmonte do SUS e da saúde pública com investidas de privatização e terceirização;
    • Articulação do governo junto à atual gestão do SINDSAUDE, que fechou o SINDICATO ao acesso dos servidores com a justificativa da pandemia há 1 ano e meio;
    • Cooptação da imprensa, negando informações sobre a pandemia de COVID-19 aos trabalhadores;
    • Não houve defesa nem mesmo para os trabalhadores dos grupos de risco durante a pandemia, o que lamentavelmente levou alguns profissionais à morte;
    • Não apresentaram aos trabalhadores, a prestação de contas do último mandato e as contas bancárias estão bloqueadas.
  • Pressão contra a candidatura da chapa de oposição, que pela primeira vez teve a coragem de enfrentar a gestão que durante quase 40 anos comanda o sindicato.
    • A chapa de oposição aguarda novas eleições há quase 1 ano e meio;
  • Punições, exoneração, processos administrativos, afastamentos sem remuneração, pressões psicológicas, prejuízos financeiros e até agressão física.

Com tamanhas arbitrariedades, a justiça se mostra atuante, embora lenta. Um posicionamento do Partido dos Trabalhadores é urgente e indispensável, afinal, esta situação interfere diretamente na própria luta partidária no estado de Minas Gerais, na defesa do SUS e dos trabalhadores, pautas que são prioritárias do partido.

Os trabalhadores estão amordaçados nos seus locais de trabalho acompanhando a entrega da saúde e sentindo a retirada de direitos adquiridos ao longo de tantas lutas, de tantos enfrentamentos.

Sem o sindicato cumprindo seu papel de organização administrativa e jurídica pela defesa dos trabalhadores, o futuro se mostra sombrio e o presente apavorante. Estamos diante de uma caça às bruxas. Tempos sombrios, tempos de guerra. Somos resistência e luta, mas precisamos de apoio.

A defesa do SUS, dos trabalhadores, das instituições sindicais é um desafio, e o Partido dos Trabalhadores precisa ser um instrumento de resistência e luta.

Fora Bolsonaro Fora Zema.

Patos de Minas, 02 de setembro de 2021.

Águida Helena Vieira

Presidente do Partido dos Trabalhadores de Patos de Minas

 

Leonardo da Costa Mundim

Vice-Presidente do Partido dos Trabalhadores de Patos de Minas

 

Carlos Vinícius Caetano Dias Ortelan

Secretário de Organização do Partido dos Trabalhadores de Patos de Minas

 

Sônia Soares Ferreira

Secretária de Comunicação

Este post tem um comentário

  1. Lilith Onaka

    Achei confuso. Qual chapa é a de oposição? Quem são essas pessoas que são “filiados ao Partido dos trabalhadores, bolsonaristas, membros do governo” deem a notícia completa, tá parecendo fofoca isso aí…

Comente!