Por Marinalva Santana (*)

Fábio Novo – pré-candidato do PT

Ainda faltam sete meses para a eleição que irá definir quem será o(a) prefeito(a) de Teresina, a partir de 01 de janeiro de 2021. Mas, hoje, ouso vaticinar que Fabio Novo irá para o 2° turno e vencerá seu/sua opositor/a.

Digo isso apoiada em um fato: a obsessão do Prefeito Firmino Filho em atacar, por via transversa, a pré-candidatura de Fabio Novo. Afastando-se de sua postura calma e serena, Firmino tem se notabilizado pelo tom agressivo e desrespeitoso nas críticas aos pré-candidatos da oposição (de uns dias prá cá, o tom beligerante só tem como alvo o pré-candidato do PT).

Não é por acaso que isso acontece.

Até agora, o grupo que ocupa o Palácio da Cidade há 35 anos não encontrou um nome competitivo para apresentar, daí a quantidade expressiva de balões de ensaio já lançados.

Enquanto isso, Fabio Novo tem caminhado por Teresina, dialogando com todos os segmentos da sociedade. As propostas factíveis e inovadoras do pré-candidato petista – como a que garante igualdade de gênero nos cargos de 1º escalão – são um soco no estômago da anódina e saturada administração do PSDB, que sempre reservou às mulheres o papel de figurantes.

Fabio, o Novo, é o pré-candidato mais preparado dentre os que até agora se apresentaram – e Firmino sabe disso (essa talvez seja uma das razões que explicam as críticas recorrentes do Prefeito ao candidato do PT. “Quem desdenha quer comprar”, né?).

Outro ditado popular, diz que “Pra bom entendedor, meia palavra basta”. Cá com meus botões: esse novo Firmino, agressivo e, por vezes, desrespeitoso não é influência da ascenção da estupidez na era bozo. Mas, antes de tudo é sinal de que a era de monopólio dos 35 anos do PSDB em Teresina está prestes a ruir.

(*) Marinalva Santana é militante do Grupo Matizes e foi coordenadora da campanha Lula presidente em 1989 na cidade de Teresina.

Comente!