Começa nesta sexta-feira (1º/11) e vai até domingo o Encontro Anti-imperialista de Solidariedade pela Democracia e contra o Neoliberalismo na capital cubana, Havana. Durante o Encontro, as assinaturas coletadas desde o dia 15 de outubro pelas organizações sociais cubanas serão entregues pelo Instituto Cubano de Amizade com os Povos à delegação brasileira que participará do evento. A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, participa do encontro onde fará uma intervenção sobre a unidade dos povos no combate anti-imperialista e nos esforços pela paz.

Mais de mil representantes de partidos políticos e movimentos populares de cerca de 80 países estarão em Havana, capital de Cuba, a partir desta sexta-feira (01/11) até domingo (03/11) para participar do Encontro Anti-imperialista de Solidariedade pela Democracia e contra o Neoliberalismo, evento que se propõe a debater os desafios da esquerda da América Latina contra os ataques do imperialismo e do sistema neoliberal na região.

Segundo Fernando González Llort, presidente do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP), uma das entidades que organizam o encontro, o evento acontece em um momento específico na América Latina, onde levantes populares e resultados eleitorais confirmam que não existe um retrocesso da esquerda na região.

“Necessitamos que o movimento de solidariedade compreenda a particularidade específica deste momento, porque a guerra econômica contra Cuba não está isolada de uma ofensiva por parte dos centros imperiais e dos Estados Unidos contra todo o continente”, disse Llort.

O Encontro Anti-imperialista se divide em seis comissões temáticas com o intuito de debater temas relevantes para o cenário latino-americano. As pautas passam por solidariedade a Cuba, livre comércio das transnacionais, guerra cultural, juventude e integração das identidades da Pátria Grande.

De acordo com o presidente do ICAP, as comissões são temáticas, mas os debates passarão por diversos outros temas com “as causas dos povos de Porto Rico, do povo Saharaui, do povo palestino, a Revolução Bolivariana e a injustiça com [o ex-presidente] Lula que permanece na prisão”.

Socorro Gomes, presidenta do Conselho Mundial da Paz, intervirá no Encontro Anti-imperialista. “Este encontro tem grande importância na luta pela libertação dos povos e nações da dominação imperialista e nos esforços para alcançar a paz mundial. Hoje mais do que nunca é indispensável construir a ampla unidade e a solidariedade das massas populares em todo o mundo. Nesse sentido, é de grande relevância o papel de países que na América Latina estão à frente do combate à dominação imperialista, como Cuba e Venezuela” – afirmou a dirigente.

Assinaturas pela liberdade de Lula

O governo cubano iniciou uma campanha para a coleta de assinaturas em favor da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde abril de 2018.

Durante o Encontro Anti-imperialista, as assinaturas coletadas desde o dia 15 de outubro serão entregues pelo Instituto Cubano de Amizade com os Povos à delegação brasileira que participará do evento.

(*) Publicado em Resistência (www.resistencia.cc)

 

Comente!

Fechar Menu
×

Carrinho