Data marca 10 anos da violenta reintegração de posse de área ocupada por aproximadamente 1.700 famílias em São José dos Campos (SP)

 

Publicado originalmente no site da CUT/SP

Em 22 de janeiro de 2012, o prefeito de São José dos Campos, Eduardo Cury, o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, a juíza Márcia Loureiro da 6ª Vara Cível de São José dos Campos, mobilizaram um efetivo de dois mil soldados da Polícia Militar armados com escudos, armas, cassetetes, bombas de gás e spray de pimenta, além de dois helicópteros e da cavalaria. O objetivo: expulsar cerca de 1,7 mil famílias – homens, mulheres, pessoas com deficiência, idosos e crianças – da ocupação Pinheirinho dos Palmares, localizada em um terreno em São José dos Campos, interior de São Paulo. A ação foi reconhecida como um dos maiores crimes de Estado contra os direitos humanos cometidos no período pós-ditadura militar. A partir do que foi possível apurar podemos concluir que a desocupação não planejada e realizada de forma violenta, no mínimo gerou gastos acima de R$ 416 milhões de reais.

A origem da ocupação, a resistência, os crimes de estado, o destino das famílias da maior ocupação urbana já registrada no país, sua organização, sua busca por justiça e a vitória na conquista da moradia é o foco do documentário “Pinheirinho dos Palmares: a luta contra injustiças”, que será lançado no bairro Pinheirinho dos Palmares (aqui localização para facilitar acesso ao bairro https://goo.gl/maps/rCgv3teRHE1VFeTK7) no próximo dia 22 de janeiro às 19h, data em que se completam 10 anos do massacre. Às 18h acontecerá diálogo sobre a conquista na construção do bairro e das moradias.

“A produção Pinheirinho dos Palmares é uma contribuição para superar o negacionismo em relação aos inúmeros crimes de estado praticados contra a comunidade do Pinheirinho”, conta Everton Rodrigues, diretor do documentário. “Negar o massacre do Pinheirinho significa ignorar a própria história de escravidão e criminalização da população excluída no Brasil!, completa.

O terreno que foi ocupado é parte da massa falida da Selecta S/A, de propriedade do especulador acusado e preso por corrupção, Naji Nahas, e jamais atendeu à exigência do artigo 5º da Constituição Federal, sobre a função social da terra. Além disso, o empresário acumula dívida acima de R$ 190 milhões com a prefeitura por não pagar IPTU entre 1981 e 2022.

Pessoas de outras cidades e estados ou que não conseguirem se deslocar até o bairro, poderão assistir ao documentário no dia 5 de fevereiro às 19h através da internet. Para assistir em casa, através da internet o ingresso no valor de R$ 10,00 poderá ser adquirido no link www.even3.com.br/PinheirinhoDosPalmares

A lista de patrocinadores, apoio cultural e das pessoas apoiadoras, será apresentada no dia 22 de janeiro.

Ficha Técnica

Título: Pinheirinho dos Palmares: A Luta Contra Injustiças

Conselho Editorial Comunitário: Carlos Tim Maia, Jessica Nereida Silva da Cruz, Juliana Silva da Cruz, Luiz Gonzaga Alves da Silva (LG), Rose Aparecida Silva e Waldir Martins (Marrom)

Direção: Everton Rodrigues

Direção Fotografia: Erik Garcia

Direção de Produção: Erik Garcia

Assistente de Produção: Samuel deJac

Roteiro: Everton Rodrigues e Erik Garcia

Produção Executiva: Everton Rodrigues

Montagem: Nathalie Sbrisse

Edição: Erik Garcia

Narração: Vanda Siqueira e Gabriel Hendi

Divulgação: Evelin Silva Rodrigues e Laura Rodrigues

Design Gráfico: Elaine Alves

Animação: Erik Garcia

Duração: 1h40min

Informações: Marrom (12) 98811-7816 e Everton Rodrigues (12) 991455394 (https://wa.me/message/OF3CQZPT75GEH1)

Comente!