Página 13 divulga cursos promovidos pela Escola Latino-americana de História e Política – ELAHP que acontecerão no mês de março. Para maiores informações, basta acessar o site https://elahp.com.br/.

 

Mao, Chu e Deng: vida e obra

Mao, Chu e Deng, vida e obra. Este é o nome do curso que a Escola Latino Americana de História e Política oferecerá a partir do dia 2 de março, sempre as 21h às 23h. A primeira aula apresentará um panorama da China atual. A segunda percorrerá a história da China. Depois teremos aulas dedicadas ao, digamos, papel da personalidade na história: uma sobre Mao Zedong, outra sobre Chu Enlai e uma terceira sobre Deng Xiaoping. O curso terminará no dia 7 de março, com uma aula da professora Dilma Rousseff, acerca dos “desafios presentes e futuros da China”.

Ao buscar construir um programa e uma estratégia que nos permitam construir um socialismo com características próprias, é importante que a esquerda brasileira leve em consideração as diferentes experiências e tentativas de conquistar e construir o socialismo, em outras partes do mundo e em outras épocas da história. Não há dúvida de que temos muito o que aprender com a China. Quem quiser saber mais, inscreva-se no curso Mao, Chu, Deng.

 

Nova Política Economica (NEP), 100 anos depois

nep-100-anos-depois

Você acha que “socialismo de mercado” é um produto made in China? Então você precisa se inscrever no curso Nova Política Economica (NEP), 100 anos depois, oferecido pela Escola Latino Americana de História e Política nos dias 9, 10 e 11 de março de 2021. A primeira aula, a cargo do professor Valter Pomar, tratará da Revolução Russa de 1917 e o comunismo de guerra. A segunda aula, a cargo da professora Joana Salém, abordará a Nova Política Econômica, seu desenho, implementação, efeitos e crise. E a terceira e última aula, a cargo do professor Breno Altman, será sobre os ensinamentos da NEP, 100 anos depois.

Ao término do curso será possível perceber que os debates teóricos travados nos anos 1920 – acerca da relação entre capitalismo e socialismo, entre Estado e mercado, entre diferentes escolas de planejamento etc. – anteciparam as grandes questões postas pelas reformas chinesas, desde 1978 até hoje.

 

150 anos da Comuna de Paris

Ditadura do proletariado. Há os que gostam, há os que odeiam, mas a maioria provavelmente não sabe que a popularização destes termos tem relação direta com um episódio ocorrido há 150 anos: a Comuna de Paris. Aliás, conta uma lenda que os versos da Internacional foram escritos ao som dos fuzilamentos dos communard. Os 150 anos da Comuna de Paris serão tratados por um curso da Escola Latino Americana de História e Política. No dia 23 de Março, a professora Eliane Soares falará dos acontecimentos. No dia 24 de março, a professora Rita Coitinho analisará o balanço feito por Marx nos textos posteriormente reunidos no livro “A Guerra Civil em França”. E no dia 25 de março, Valério Arcary analisará a fortuna da Comuna, 150 anos depois.

 

A questão militar no Brasil

O Brasil de 2021 as vezes lembra o Apocalipse segundo São João: tem peste, tem morte, tem fome e tem até guerra. Melhor dizendo, tem militar para tudo quando é lado. A presidência, a vice-presidência, vários ministérios, diversos escalões da administração direta e indireta, órgãos públicos dos mais diferentes tipos estão sob gestão militar. Além dos ganhos pessoais, a instituição também está sendo beneficiada na distribuição do orçamento público. Ao mesmo tempo, empodera-se as estruturas policiais em todo o país. Facilita-se a importação e a comercialização de armamentos de “uso pessoal”. Um governo tutelado pelas forças armadas e presidido por alguém que tem vínculos com as milícias está incentivando abertamente as camadas ricas da população a se armarem. Estes e outros motivos levaram a Escola Latino Americana de Escola e Política a organizar e oferecer um curso sobre “a questão militar”. De 15 a 19 de março, sempre das 21h as 23h, os professores Manuel Domingos e José Genoíno vão tratar das Forças Armadas e a formação do Estado brasileiro, das origens e principais momentos da formação do pensamento militar, da ditadura militar, da transição e dos governos do PT, concluindo com uma discussão sobre as mudanças no papel político e institucional das Forças Armadas. Enfim, um curso para os que acham que vivemos “tempos de guerra”.

Comente!