Por Redação Página 13 (*)

A bancada do PT na Câmara dos Deputados reuniu-se hoje (04) e deliberou sobre o posicionamento do Partido na eleição para a presidência da Mesa Diretora. Por 27 votos a favor, prevaleceu o apoio a Baleia Rossi (MDB). A favor da candidatura própria, votaram 23 parlamentares. Um resultado que não confirma as informações públicas dadas por dirigentes do Partido e da bancada, sempre sinalizando ampla maioria a favor da candidatura do bloco do Maia.

Confira o voto de cada parlamentar:

Pelo apoio ao deputado Baleia Rossi no primeiro turno:

  1. Airton Faleiro
  2. Alencar Santana Braga
  3. Alexandre Padilha
  4. Benedita da Silva
  5. Beto Faro
  6. Carlos Veras
  7. Carlos Zaratini
  8. Enio Verri
  9. Erika Kokai
  10. Gleisi Hoffmann
  11. João Daniel
  12. José Airton Félix Cirilo
  13. José Guimarães
  14. Leo de Brito
  15. Leonardo Monteiro
  16. Marília Arraes
  17. Merlong Solano
  18. Nilto Tatto
  19. Patrus Ananias
  20. Paulão
  21. Paulo Guedes
  22. Paulo Pimenta
  23. Professora Rosa Neide
  24. Rejane Dias
  25. Rubens Otoni
  26. Valmir Assunção
  27. Vicentinho

Pela candidatura própria/esquerda:

  1. Afonso Florense
  2. Arlindo Chinaglia
  3. Bohn Gass
  4. Célio Moura
  5. Frei Anastacio Ribeiro
  6. Helder Salomão
  7. Henrique Fontana
  8. Jorge Solla
  9. José Ricardo
  10. Joseildo Ramos
  11. Marcon
  12. Maria do Rosário
  13. Natália Bonavides
  14. Odair Cunha
  15. Padre João
  16. Paulo Teixeira
  17. Pedro Uczai
  18. Reginaldo Lopes
  19. Rogério Correia
  20. Rui Falcão
  21. Waldenor Pereira
  22. Zé Carlos
  23. Zeca Dirceu

Abstenção:

  1. Zé Neto

Ausente:

  1. Vander Loubet

OBS.: Luizianne Lins está de licença da Câmara Federal

(*) redacao@pagina13.org.br

Este post tem 8 comentários

  1. Deroci Inacio de Freitas

    Eu não confio no MDB, são golpistas, depois de tudo vão apoiar o Bolsonaro, alguém paga pra ver?

  2. Antonio Luiz Teixeira

    Democracia é assim. Vence a maioria. E no caso, sendo a democracia interna de um partido, espera-se que ela seja respeitada por todos os seus filiados, principalmente por aqueles que votaram por A ou por B. Se assim não for de nada servirá ser PT.

  3. Antonio Luiz Teixeira

    27 a 23. Onde estará o Bem e o Mal? Ou, não é nada disto?

  4. Joãozinho Braúna

    Compreendo aqueles e aquelas que se posicionaram contra o apoia do PT ao MDB, mas para esse momento é uma questão pontual, acho que essa decisão foi a mais viável, não sendo assim, Bolsonaro teria logo o controle da câmara já certo no primeiro turno. De qualquer forma é uma disputa fervorosa, por isso é fundamental derrotar ele agora sem correr risco.

  5. Ocelo Mendonça

    Ué, eu soube que alguns parlamentares queriam que o PT apoiasse o Lyra. Por que não apareceu nesse quadro?

  6. Vão se os anéis. Mas, ficaram os dedos. Com toda certeza, se fossemos para disputa sairíamos muito mais afastados e derrotados da luta. É a ARTE DA GUERRA em sua maior efervescência. Sairíamos muito isolados dessa disputa. Junte se ao inimigo para conhecer suas fraquezas e com certeza vc logo estará pronto para derrota lo.

  7. Adolfo

    Foi uma alternativa programática que também concordo. A turma do MDB não é confiável mesmo não. Mas tendo algum acordo é melhor do que nenhum compromisso

  8. Silva

    Esse acordo só vai resultar na promessa de cargos para os deputados que votaram a favor. Promessa porque, como outros companheiros já ressaltaram, o MDB vai trai-las logo que assumir a presidência da casa. Com Rossi presidente, a pauta do governo continuará comandando a Câmara, assim como na era Botafogo, que fazia oposição pontual a questiúnculas irrelevantes para desviar a atenção do seu governismo. Bolsonaro já venceu.

Comente!