Página 13 publica carta aberta de Sérgio Gabrielli acerca do PT e do processo político-eleitoral em Salvador, visando as eleições municipais de 2020.

 

Não há dúvidas de que o Governador Rui Costa e o Senador Jaques Wagner são as principais lideranças do PT em Salvador e terão papel muito importante na definição da tática, do perfil e do programa d@ candidat@ do Partido para estas eleições de 2020.

O PT deve responder a várias aspirações e desejos de nosso povo: a cidade não pode continuar concentrando seus investimentos nos bairros mais nobres, há que se tentar reduzir a desigualdade, o acesso aos serviços públicos deve considerar a prioridade para a gente mais necessitada, a mobilidade da cidade, inclusive as viagens a pé que muitos soteropolitan@s fazem todo o dia, deve ter um olhar especial para as pessoas, diminuindo a importância dos carros individuais. Escolas, postos de saúde e creches devem melhorar bastante o atendimento aos que mais precisam, principalmente os negros e negras, maioria de nossa cidade.

O desemprego é um problema crescente, nossa população não tem espaços para participar da gestão da cidade e os negr@s, em particular as mulheres, são os que mais sofrem a falta de atenção do poder publico municipal.

Mas também há de considerar as obras estruturantes que o Governo do Estado vem fazendo, além dos projetos que mudarão o espaço urbano, ligando mais intensamente o Subúrbio Ferroviário e a Orla Atlântica de Salvador.

A defesa do legado dos governos Wagner/Rui é uma tarefa importante para o candidat@ do PT. Não podemos esquecer também o efeito das políticas do governo federal, na defesa dos tempos de Lula e Dilma e na denuncia e resistência contra os desmandos de Bolsonaro.

A grande questão no momento é quem tem as melhores condições para defender este programa, o legado de nossos governos e apresentar novos projetos e sonhos que toquem ao coração da gente de nossa cidade. O PT já tem quatro pré-candidatos – Vilma Reis, Fabya Reis, Juca Ferreira e Robinson Almeida.

A imprensa especula a preferencia do Governador pela Major Denice Santiago, que se filiaria ao PT e seria escolhida candidata a Prefeitura. Não tenho nada a opor ao trabalho que a Major Denice Santiago, uma valorosa mulher negra, que vem prestando importantes serviços na luta contra a violência doméstica, à frente da Ronda Maria da Penha.

Mas a Major Denice não tem tradição de luta nos movimentos sociais, não tem militância partidária e será uma expressão da corporação Polícia Militar na campanha de 2020, se for escolhida candidata pelo PT.

Ela até pode ser a escolhida, mas neste caso o processo de escolha d@ candidat@ passa a ser absolutamente importante. De acordo com os estatutos partidários a escolha poderá ser feita em Encontro ou em Prévias. O Encontro ocorre com delegados que refletem a correlação de forças definida pela última eleição interna, pelo último PED.

As prévias abrem possibilidades de manifestações de posições, que não participaram no PED, ou mudando o posicionamento daqueles que participaram, permitindo uma certa disputa, que pode vir a modificar o posicionamento das tendências organizadas do Partido.

A ampliação dos espaços de participação da base partidária dará a esta decisão uma maior legitimidade, consolidando as lideranças dos companheiros Governador e Senador, além das lideranças do Partido que se posicionarão em relação ao perfil do candidat@, à tatica eleitoral e aos principais pontos programáticos da campanha.

Há aqueles que argumentam que as Prévias levarão a decisão para muito tarde, porque dependem do Calendário Nacional a ser definido no próximo dia 7/02. Este obstáculo pode ser resolvido com o respeito a este Calendário para a REALIZAÇÃO das prévias, mas nada impede que os debates e a campanha para as mesmas comecem IMEDIATAMENTE. O DM poderia estabelecer um calendário com início IMEDIATO de debates nas Zonais e centralizados d@s candidat@s para preparar a realização das
prévias na data que o Calendário Nacional permitir.

Com isto o debate sobre as escolhas de candidatos aumentaria o grau de politização, sairia das reuniões fechadas e abriria possibilidade para a base militante do partido participar diretamente do processo e, talvez principalmente, manteria a discussão sobre as propostas do PT de Salvador na sociedade, envolvendo, ainda que não diretamente os milhares de apoiadores do Partido, que acompanham de longe as escolhas partidárias.  Militantes do movimento social, pessoas cansadas com o governo de Neto, aqueles que foram contra Bolsonaro também querem maior participação.

Acredito na capacidade de liderança dos nossos grandes líderes Rui e Wagner, e membros do Diretório Municipal. Acredito também na força e energia que vem da nossa militância anônima que constrói o Partido no dia a dia e que com as previas poderia ter uma maior presença na escolha d@ noss@ candidat@ para disputar com o candidato de Neto.

Todo apoio ao início da pré-campanha para as prévias para escolher a candidatura do
PT nas eleições de Salvador.

27/01/2020

José Sergio Gabrielli de Azevedo

Este post tem um comentário

  1. LUCIENE MARIA MALTA DE SOUZA

    O PT BA não deve perder a oportunidade de escolher e eleger a aguerrida Vilma Reis.

Comente!