Por Pedro Vasconcellos (*)

Ary Moura (PDT) e Ary Vanazzi (PT)

O bolsonarismo

A chapa Heliomar Franco (DEM)-Ivo Leuck (PRTB) representa o pensamento de extrema direita, o radicalismo, a visão anti-indígena, racista, machista, anti-povo, terraplanista, que defende o armamento dos mais ricos contra os mais pobres, a privatização sem critério, os que fizeram as carreatas da morte pela reabertura do comércio, os que acham que a Covid-19 é uma gripezinha e que professor e artista é tudo vagabundo. A turma da necro-política.

Nenhum dos dois é gestor e nem tem experiência em Prefeitura, uma aventura à lá capitão. Eu que tenho 38 anos de idade, tenho mais experiência na gestão pública que os dois. Apesar de ser uma chapa com partidos novos, que tiveram grandes votações em 2018, terão que responder por todas as coisas absurdas do Governo autoritário e neo-fascista que ocupa o Planalto, como a redução do salário mínimo, o fim das aposentadorias, o corte do auxílio-emergencial e a destruição da saúde e da educação.

A chapa do Governo Moa (PSDB) + Nado (Cidadania): o abraço dos afogados.

Nenhuma frase define melhor essa chapa. É tanto equívoco junto, que unidos ficaram mais fracos. Na mesma chapa um ex-petista que muda de partido toda hora e acabou no partido do Roberto Freire, uma das figuras mais asquerosas da política brasileira; o MDB do Arthur e do Daniel, que bateu em professores, atrasou salários, superfaturou os uniformes e abandonou as escolas; o PP do Chico que quebrou o SEMAE, deixando uma divida de 37 milhões; o PSDB do Moa e do Valdir Matos, que detonou a Saúde, a Habitação, a Cultura, a Infra-estrutura e as Finanças da cidade.

Essa turma fez o pior governo da história de São Leopoldo, ficaram em 3° lugar nas últimas eleições e agora se escondem atrás de quem? do Nado! Nado vai perder mais tempo explicando porque foi para um partido que apoiou a PEC 95, que congela os investimentos públicos, a Reforma da Previdência que ferra com a aposentadoria dos professores e porque se aliou ao antigo governo corrupto, do que fazendo propostas. Aliás Nado é o profeta do acontecido, só promete o que Vanazzi já faz, como o Hospital Escola com a Unisinos. É incrível como essa chapa é uma tentativa desesperada de figuras em decadência na política de tentaram se reerguerem. Quando você mistura tanta coisa ruim, o resultado só pode ser ruim, não existe mágica.

A chapa Ary Vanazzi e Ary Moura da Frente Popular

Nossa chapa representa o Governo Lula, o Governo Dilma, o Governo Olívio, o Governo Tarso, e já administrou a cidade três vezes. Somos um campo que tem marcas fortes na cidade, como as 10 mil casas do Minha Casa Minha Vida, o PAC Arroio Kruze, o PAC São Miguel, a João Corrêa, a Atalibio, os PAR, 400 ruas calçadas, 11 novas UBS, a UPA da Scharlau, 5 novas EMEIs, Rua a Praia e Praça do Imigrante Revitalizada, Praça da Biblioteca e dos Brinquedos, os CRAS, a Rede de Proteção a Violência contra Crianças e Adolescentes, A Rede de Enfrentamento a Violência contra as Mulheres, a Participação Popular, a São Leopoldo Fest popular com a cara do povo, o Carnaval, a Feira do Livro, o Vem pra Praça, os Eventos de Rua e Feiras em toda a cidade como o Sarau do Rio, os grupos de idosos do Viver Bem, o Hospital Centenário recuperado, a parceria com a Unisinos. As ruas iluminadas com LED, os Ecopontos e a retirada dolixo das ruas, os Salários em dia, os reajustes e Planos de Carreira, o Centro Administrativo, a nova frota de Viaturas da Guarda, da Saúde e do SEMAE. A recuperação financeira e obras de saneamento do SEMAE.

Vanazzi como Presidente da ABM colocou São Leopoldo no cenário nacional, como cidade que mais conseguiu investir e gerar empregos na pior crise econômica da nossa historia e buscou recursos federais junto a CAIXA e BRDE. Vanazzi virou destaque internacional, na relação com o Mercosul, com a Europa, especialmente Alemanha, França, Espanha e Portugal, com a Africa e o Oriente Médio; como modelo de gestão ambiental e cuidado a vida no enfrentamento à COVID-19. Vanazzi hoje é um dos Prefeitos brasileiros mais conhecidos e respeitados do mundo e participa e todas as grandes redes mundiais de cidades, e desenvolve cooperação com mais de 10 cidades de 4 continentes. Um governo que já trouxe em três mandatos 1,2 Bi em investimentos para cidade e recuperou a capacidade de investimento do município.

O Futuro

Em 2024 São Leopoldo completa 200 Anos. Uma cidade emergente no cenário do Estado, do Brasil e do Mundo. Uma cidade de todas as imigrações, de todas as etnias, de muitas identidades e que sempre foi marcada por ser uma cidade cosmopolita. Seja pela colonização Alemã, Portuguesa e Italiana, seja pela forte presença Africana, seja pelos Palestinos e Libaneses, seja pelos Uruguaios e Argentinos, pelos Luteranos e Jesuítas vindos de diferentes partes da Europa e da América Latina, seja pela Unisinos e pelo Morro do Espelho, seja pelas fábricas e empresas que trouxeram Gaúchos e Catarinas do interior a procura de trabalho, seja pelos senegaleses, haitianos e venezuelanos que chegaram nos últimos anos.

Como cidade cosmopolita diversa, profundamente integrada ao Vale dos Sinos e a Grande Porto Alegre, São Leopoldo precisa de um governo que seja capaz de conduzir a cidade para enfrentar a crise econômica e sanitária, com olhar humano e democrático e preparar um novo ciclo de desenvolvimento, que invista na ampliação do seu Parque Tecnológico, no Fortalecimento das suas Universidades, na formação superior, na ampliação do Ensino Técnico. Que tenha o Rio dos Sinos os Parques e Áreas Verdes como ativos estratégicos a serem preservados.

Que invista em energia solar, eficiência energética, tratamento de esgoto e coleta seletiva. Que tenha um ocupação cultural e humana no seu Patrimônio Histórico, nos Museus, Espaços Culturais e Praças da cidade, uma cultura rica e pulsante que gere nova economia e novos empregos. Uma cidade que tenha perspectiva para os jovens, para as mulheres, para os trabalhadores, para os negros, LGTBQI+, indígenas e imigrantes vindos de todas as partes do mundo.

Por isso precisamos tanto de gestores experientes e comprometidos com o futuro. Há muita coisa em jogo. E há muita gente sem esperança. Queremos trazer de volta o orgulho da cidade de sonhar e ter orgulho de sua gente, de sua história. Uma cidade que tenha os pés e a mente cravados no século XXI.

Queremos uma São Leopoldo que sonha e que realiza, que sabe das suas dificuldades e não tem medo de enfrentá-las, por isso não podemos perder tempo com aventureiros ou oportunistas. Precisamos eleger para governar a cidade o quê São Leopoldo tem de melhor, por isso queremos a sabedoria, a sensibilidade e o compromisso de Ary Vanazzi e Ary Moura pra governar a cidade quando ela completar 200 Anos, assim poderemos sonhar que ela estará preparada para o longo e turbulento século que se avizinha.

(*) Pedro Vasconcellos é Secretário de Cutura e Relações Internacionais de São Leopoldo (RS), Representa a cidade na Rede Mercocidades, Rede FALP, CGLU e Fórum de Gestores de Cultura da ABM. Foi um dos articuladores da aprovação da Lei Aldir Blanc.

Comente!