Por Página 13 (*)

Seguindo protocolos de segurança, população volta às ruas sob o lema Memória, Verdade e Justiça

A comemoração do Dia da Memória da Verdade e da Justiça, 45 anos após o golpe militar (1976) que estabeleceu a ditadura militar na Argentina , aconteceu nesta quarta-feira com atividades que abrangeram toda a geografia nacional e se estenderam até o chamado ciberespaço.

Em diferentes cidades, autoridades, universidades, sindicatos e organizações sociais plantaram árvores para aderir à campanha das organizações de direitos humanos “Nós Plantamos Memória”, que visa colocar 30.000 plantas nativas em todo o país em memória dos desaparecidos.

As governadorias, legislaturas, associações de direitos humanos e sindicatos das províncias programaram eventos virtuais, vigílias, atividades culturais e caravanas para comemorar o chamado Dia Nacional da Memória pela Verdade e Justiça.

Ações foram programadas em La Plata, Mar del Plata, Morón, Córdoba, Mendoza, Santa Fé, Tucumán, Terra do Fogo, Neuquén, Río Negro, Entre Ríos, entre outras cidades importantes.

Com informações de Telesur

(*) redacao@pagina13.org.br

Este post tem um comentário

  1. David

    E aqui no Brasil, o PT vai deixar o Bolsonaro e a direita comemorarem o golpe de 1964? Todos às ruas! O PT tem que sair da inércia e mobilizar os sindicatos, a militância etc. A direita e a extrema-direita estão levantando a cabeça e um golpe militar pode ser colocado em prática. Vamos esperar acontecer ou lutar?

Comente!