Teve início na manhã desta segunda- feira, (28), o 9º Conselho Nacional de Associações Docentes Extraordinário do ANDES-SN, que tem como tema “A vida acima dos lucros: Em defesa das instituições de ensino, dos serviços públicos e da autonomia sindical!” e ocorre até o dia 30 de setembro. Este será o segundo Conad extraordinário realizado pela internet, em decorrência da pandemia da Covid-19.

No anterior (8° CONAD), realizado nos dias 30 e 31 de julho, o evento foi convocado para discutir a prorrogação do mandato da diretoria, em face da pandemia provocada pelo coronavírus, embora a pauta previsse também uma plenária de conjuntura.

Numa situação sem precedentes, e com a diretoria já em plena prorrogação de 90 dias do mandato, uma vez que o mesmo havia vencido em 28 de junho, o CONAD estava chamado a achar uma saída democrática para a difícil situação na qual o Governo Bolsonaro segue aplicando sua política de destruição dos direitos e conquistas do povo brasileiro e, em particular, aqueles relacionados à educação e aos docentes. O 8º CONAD Extraordinário, ocorrido em julho, infelizmente, preferiu não enfrentar esta tarefa.

Nesse contexto, acontece o 9° CONAD, que teve início hoje com uma mesa de abertura. A plenária contou com a participação de 224 participantes, entre eles, 67 delegados, 124 observadores, 7 convidados, 26 diretores. Representantes de 70 seções sindicais do ANDES-SN participam do evento.

Celi Taffarel, do Fórum Renova ANDES, criticou a polícia genocida do presidente da República Jair Bolsonaro e fez um histórico dos ataques aos direitos dos trabalhadores nos últimos períodos desde a Emenda Constitucional (EC) 95/16, Teto dos Gastos, passando pelas reformas Trabalhista e da Previdência, até os novos ataques com a reforma Administrativa e Tributária do governo atual.

Que deliberemos nesse Conad o apoio, em todas as formas, e a nossa presença nas ruas nas mobilizações do dia 30 de setembro, em defesa dos serviços públicos, e 3 de outubro, em defesa das Estatais. Almejo e faço em nome do Renova ANDES-SN que este momento seja importante para as nossas decisões políticas e que oriente a nossa categoria que está em sofrimento e sendo atacada, não só com as medidas aprovadas no Legislativo, com cortes no Orçamento, mas porque está sendo judicializada como no caso da Unilab. Estão atacando nossos espaços de trabalho”, alertou.

Maria Carlotto, também do Renova, destacou que “a conjuntura piorou muito, o mundo vive uma crise profunda em vários âmbitos, econômico, político, ambiental e o Brasil é exemplo dramático disso […] Mas nesse contexto brechas se abrem, e nossa função como movimento progressista, como sindicato em defesa dos trabalhadores, é aproveitar essas brechas. A gente entende que o ANDES deve cumprir o papel histórico que lhe cabe como um dos maiores sindicatos do Brasil e da América Latina. Ele precisa se reaproximar da base.”

Após a abertura, foi realizada a plenária de instalação, com aprovação do regimento, e do cronograma e pauta. O RENOVA fez uma proposta para encurtar o CONAD para que não se avançasse para o dia 30, que é o Dia Nacional de luta contra a reforma administrativa. O entendimento é de que o ANDES deve ser uma das lideranças contra a reforma administrativa, que vai destruir os serviços públicos brasileiros, por isso, seria uma absurdo não participar integralmente das ações do dia 30 de setembro.

A proposta foi derrotada pelos setores alinhados à atual direção. Foram  37 votos contra a proposta e 26 favoráveis. Isto é, na prática, a maioria da direção preferiu se ausentar das mobilizações no dia 30.

(*) Com informações do https://www.andes.org.br/ e http://renovaandes.org/

 

 

 

Comente!